Infraestrutura > Servidores

Receita global da indústria de servidores tem queda de 5,8% no terceiro trimestre

As remessas globais caíram 2,6% em relação ao ano anterior. Entre os cinco maiores fornecedores, apenas a Cisco teve aumento na receita, aponta o Gartner

14 de Dezembro de 2016 - 14h15

A receita global da indústria de servidores registrou queda de 5,8% no terceiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2015, de acordo com dados do Gartner. As remessas mundiais caíram 2,6% em relação ao ano anterior. Entre os cinco maiores fornecedores, apenas a Cisco obteve aumento na receita, enquanto a Huawei e a Inspur Electronics registraram crescimento nas remessas. HPE, Dell e Lenovo tiveram declínios tanto na receita quanto nas remessas de servidores.

"O mercado de servidores foi impactado durante o terceiro trimestre de 2016 por planejamentos de gastos mais conservadores mundialmente. Isso foi agravado pela capacidade dos usuários finais de alavancar máquinas virtuais adicionais em servidores x86 já existentes [sem novos hardwares] para atender às suas necessidades de aplicações de servidor. Os provedores de servidores precisarão revigorar e melhorar suas proposições de valor para ajudar os usuários finais a justificar as substituições e o crescimento de hardware do servidor caso queiram levar o mercado de volta a uma situação positiva”, afirma Jeffrey Hewitt, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

Os servidores x86 tiveram redução de 2,3% nas remessas e de 1,6% na receita no terceiro trimestre de 2016.  Entre os cinco maiores fornecedores, somente a Cisco não apresentou declínio na receita. Já nas remessas, apenas a Huawei e a Inspur Electronics tiveram crescimento.

Apesar de uma diminuição de 11,8%, a HPE continua liderando o mercado mundial de servidores ─ com base na receita ─, com participação de mercado de 25,5%. Entretanto, ela teve uma diminuição da receita de 1,8% no período.  A Dell teve queda de 7,9%, mas manteve o segundo lugar no mercado com 17,5% de participação. Mesmo com a queda sua parcela permaneceu estável, diminuindo a diferença entre as duas empresas.

A Lenovo ficou com o terceiro lugar em receita, com 7,8%, mas continuou a observar uma queda de 16,4%. Já a IBM caiu para a quinta posição e teve o maior declínio entre os cinco principais fornecedores. A receita da IBM caiu 20%, visto que ainda sente os efeitos da alienação de seu x86. Ela também não conseguiu manter seu desempenho do ano passado neste trimestre, quando se beneficiou de vendas de reposição relativamente fortes.

A HPE apresentou um desempenho fraco de remessas, perdendo mais de três pontos percentuais na parcela do mercado. A Dell e a Lenovo, respectivamente na segunda e terceira posição, conseguiram manter sua parcela de mercado alinhando suas quedas de remessas às do mercado global. Considerando as condições globais de remessa, foi um resultado positivo. Somente os fornecedores de white box na categoria “Outros” conseguiram aumentar sua participação.

Queda global

Todas as regiões apresentaram declínio em remessas, exceto a Europa Oriental, que apresentou crescimento de 0,9%. Em receita, todas as regiões sofreram queda, com exceção do Japão, que cresceu 1,3%. Na Europa, Oriente Médio e África (EMEA), as remessas de servidores totalizaram 481 mil unidades no terceiro trimestre de 2016, uma queda de 9,7% ano após ano. A receita de servidores chegou a US$ 2,6 bilhões, um declínio de 12,1% comparado ao mesmo período de 2015.

“Esse é o terceiro trimestre consecutivo de diminuição de receita no mercado EMEA. Os padrões de gastos dos grandes provedores de cloud dificultaram a repetição do desempenho do terceiro trimestre de 2015 em alguns países, porém, a realidade é que a demanda tem sido fraca em toda a região”, explica Adrian O’Connell, diretor de pesquisas do Gartner

Isso, segundo ele, não configura uma desaceleração repentina após o resultado do referendo que definiu a saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), mas um sinal da demanda fraca contínua em todo o mercado EMEA, com poucos fabricantes com efeito positivo.

“Com servidores que não são x86 caindo para menos de 12% da receita global, o mercado está altamente exposto aos efeitos negativos que a virtualização e os serviços externos de nuvem podem ter sobre plataformas x86 mais baratas. É provável que o EMEA continue sendo uma região muito difícil para os fornecedores de servidores,” completa O'Connell.