Cloud Computing > Resultados Financeiros

Receita da SAP com negócio de nuvem cresce 31% no ano

A receita com as assinaturas de nuvem e suporte da fabricante de software totalizou 827 milhões de euros em 2016 contra 631 milhões de euros no ano anterior

24 de Janeiro de 2017 - 18h46

A SAP vai rever para cima as projeções de lucro para este trimestre, após a expansão no negócio de nuvem registrada no quarto trimestre do ano passado. O lucro líquido da fabricante de software nos três últimos meses de 2016 subiu 18%, para 1,51 bilhão de euros (o equivalente a U $ 1,62 bilhão) ante 1,28 bilhão de euros um ano antes. A receita no período aumentou 6%, para 6,72 bilhões de euros contra 6,34 bilhões de euros em igual período de 2015.

O lucro líquido no ano cresceu 18%, para 3,61 bilhões de euros ante 3,05 bilhões de euros registrados no ano anterior. Já a receita somou 22 bilhões de euros no ano, um aumento de 6% na comparação com os 20,7 bilhões de euros apurados em 2015. Em razão do bom desempenho, a SAP anunciou o aumento do pagamento de dividendo relativo a 2016 acima dos 1,15 euro pagos por ação no ano anterior.

Segundo o informe de resultados, as novas reservas de nuvem cresceram até 40%, enquanto a receita com as assinaturas de nuvem e suporte aumentou 31%, para 827 milhões de euros, ante 631 milhões de euros em 2015.

“Os pedidos em carteira de nuvem e as ordens sem reservas, mas empenhadas, que sinalizam o desempenho de receitas futuras da empresa, são bastante saudáveis”, disse o CEO da SAP, Bill McDermott, durante teleconferência com analistas.

A transição da SAP para a nuvem inicialmente pressionou a rentabilidade porque a receita é distribuída por períodos mais longos de contrato, ao contrário das lucrativas taxas de licenciamento. Agora, a SAP prevê que as receitas com assinatura de nuvem e suporte ultrapasse as receitas com licença de software em 2018. Embora a receita com licenças de software e suporte tenha crescido apenas 3% no ano, de 14,9 bilhões de euros em 2015 para 15,4 bilhões de euros no ano passado, ela representa 70% da receita total da SAP.

A nova estima da companhia é que o lucro operacional fique entre 6,8 bilhões de euros e 7 bilhões de euros neste ano e 8,5 bilhões de euros e 9 bilhões de euros em 2020.

Nos últimos anos, como parte da estratégia para a nuvem, a SAP adquiriu uma série de empresas focadas em nuvem, incluindo a compra em 2014 Concur Technologies, fornecedora de software de gerenciamento de viagens e despesas, por US$ 8,3 bilhões. Pouco depois, a SAP realizou um redesenho no software Business Suite — incluindo aplicativos de gerenciamento para finanças, logística, comércio e gestão de inventário — para operar com o banco de dados do HANA em tempo real, ou no hardware, na nuvem.