Tecnologias Emergentes > Android

Qualcomm realiza primeiro teste 5G do mundo em um smartphone

Fabricante de chips apresentou design de referência para a nova geração de smartphones 5G. Companhia avança na corrida para entregar conexão ultrarrápida a dispositivos móveis e IoT

17 de Outubro de 2017 - 10h21

A Qualcomm anunciou nesta terça-feira, 17, que realizou, com sucesso, o primeiro teste do mundo de conexão 5G em um dispositivo móvel. O teste se deu nos laboratórios da fabricante em San Diego, na Califórnia, e foi feito durante o 4G/5G Summit, que acontece em Hong Kong nesta semana. 

O teste se dá um ano após a fabricante ter anunciado o seu chipset Snapdragon X50 5G NR. Segundo a companhia, o X50 alcançou velocidades de até 1 gigabit por segundo, muito superior a velocidade quando comparada às redes sem fio 4G LTE que são usadas pelos smartphones de hoje.

Cristiano Amon, vice-presidente executivo da Qualcomm Technologies, também apresentou o design de referência para os smartphones 5G que serão usados para testes com fabricantes de aparelhos nos próximos dois anos. O aparelho exibido pelo executivo trazia um design semelhante aos smartphones mais recentes, com tela infinita.

"Esse marco histórico e nossa referência de design para um smartphone 5G mostra como a Qualcomm Technologies está conduzindo os dispositivos móveis 5G NR para melhorar a experiência da banda larga móvel para consumidores ao redor do mundo", pontuou Amon.

A fabricante de chips prometeu que o lançamento comercial de smartphones 5G deve começar a chegar ao mercado na primeira metade de 2019. Trata-se de um prazo relativamente agressivo tendo em vista que a indústria da tecnologia sem fio concorda, em parte, com o prazo de 2020 para disponibilizar a tecnologia ao mercado. 

A expectativa é que a próxima geração de tecnologia celular com conexão ultrarrápida irá abrir as portas para níveis sem precedentes de velocidade e resposta. Com ela, a indústria espera alimentar um novo espectro de produtos e serviços que incluem avançados carros autônomos, robôs domésticos, serviços inerentes à Internet das Coisas e serviços de missões críticas. A expectativa é que a nova velocidade de conexão eleve o mercado para a cifra de 12 trilhões de dispositivos conectados até o ano de 2035.
 

"Nós estamos saindo dessa época entre os 'Gs' e entrando nessa nova era do 5G. Temos muito trabalho adiante, mas é uma das oportunidades mais excitantes que já tivemos na indústria mobile", diz Cristiano Amon.

Para ele, a economia digital começa com os computadores pessoais, mas chega de fato ao seu age com o smartphone. "São 7,5 bilhões de conexões na indústria de hoje. É a maior plataforma feita pela humanidade, e não há dúvida de que mudou tudo. E quando pensamos em 5G, é isso que levará para o próximo nível", assinala. 

"O 5G será uma das transições mais significativas que nós teremos na nossa indústria. Será como a eletricidade, em alguns anos nós não teremos mais uma discussão sobre os casos de uso, nós iremos apenas assumir que está lá, porque tudo estará de fato conectado a nuvem e é um tempo realmente animador para a indústria", prevê o executivo. 

*A jornalista viajou a Hong Kong a convite da Qualcomm Incorporated.