Gestão > Estratégia, Tendências

Quais foram as tecnologias mais disruptivas de 2015?

Economista e empreendedor, Arie Halpern, elenca dez inovações que impactaram o mercado no último ano

05 de Janeiro de 2016 - 17h31

O ano de 2015 foi pródigo na criação de tecnologias disruptivas. A reinvenção das relações do consumidor com produtos e serviços, em alguns casos, e o potencial de revolucionar mercados estabelecidos, em outros, fez o tema da inovação ser amplamente debatido pela sociedade.

“Facilitadoras de processos, essas tecnologias introduzem uma nova conveniência e acessibilidade financeira aos negócios”, observa o economista e empreendedor, Arie Halpern. O executivo listou dez inovações que, na sua opinião, mais romperam padrões no último ano.

1. Carros autônomos – Eles circularam durante 2015 nas estradas de Mountain View, na Califórnia, e nas ruas de Austin, no Texas. O lançamento ainda não é oficial, mas os testes estão avançados. Google, Tesla Motors e Ford travam uma batalha para sair na frente dessa tecnologia que vai revolucionar a indústria automobilística. O lançamento dos veículos projetados para circular sem motorista está sendo prometido para 2020.

2. Uber – A introdução do serviço de compartilhamento de carona teve grande repercussão em alguns países, provocando debates calorosos na sociedade. No Brasil, causou polêmica, pelas manifestações contrárias ao serviço dos motoristas de táxis convencionais. O CEO Travis Kalanick do Uber declarou este ano, em entrevista ao “Wall Street Journal”, a intenção de substituir todos os seus motoristas por carros autônomos. Essa e outras ações demonstraram que o Uber é muito mais do que um aplicativo facilitador, provendo uma verdadeira revolução no setor em que atua.

3. Li-fi – Neste ano, a conexão que promete substituir a rede Wi-fi, iniciou sua fase de testes na Estônia, mostrando que a utilização das ondas de rádios para a troca de dados pode ser muito mais eficaz e rápida. Na capital do país, Tallinn, a tecnologia foi instalada em pontos comerciais e em residências, visando aplicações comerciais em um futuro próximo, já que a inovação está despertando o interesse cada vez maior de investidores.

4. Skate Elétrico – O "hoveboard", veículo individual motorizado, causou sensação em 2015. Lançado nos Estados Unidos e importado para o Brasil, o equipamento tem conquistado cada vez mais usuários, principalmente celebridades mundialmente conhecidas. Com duas rodas e movido a bateria, o skate substitui as caminhadas e insere uma mudança na maneira com que as pessoas se locomovem pelos espaços públicos.

5. Apple Watch – Com o lançamento do relógio digital, que faz as funções de ler notícias, mandar mensagens e organizar compromissos, a Apple introduziu uma nova experiência de usabilidade, ao expandir seu sistema operacional diretamente para o pulso dos usuários.

6. Caminhão transparente – Desenvolvido pela Samsung, o protótipo, destacado pela revista "Time", roda com uma câmera sem fio instalada em seu interior. As imagens, captadas pela câmera, são transmitidas em um telão localizado na parte traseira do caminhão. Dessa forma, os motoristas que circulam atrás deles enxergam o que o caminhoneiro está vendo a partir de um raio de visibilidade maior e conseguem ultrapassar com mais segurança.

7. Blockchain – Não é de hoje que a plataforma blockchain opera como uma espécie de livro contábil de todas as transações feitas embitcoin. Mas, neste ano, a indústria financeira se lançou mais a essa tecnologia, tornando-a uma aliada para além do mundo digital. Um exemplo que merece destaque é o desenvolvimento de um aplicativo blockchain integrado à Microsoft Ethereum com o Azure. Baseado na computação em nuvem, instituições financeiras abraçaram a tecnologia, já que o aplicativo consegue facilitar e baratear a tecnologia de bitcoin para bancos e seguradoras.

8. Óculos holográfico -- Lançado pela Microsoft, o gadget de realidade aumentada transforma qualquer local em um ambiente virtual. A vantagem é que o dispositivo, além de ter uma grande usabilidade nos games, também encontra mercado em outros setores, como o educacional, porque estudantes de medicina, por exemplo, poderão analisar anatomia em uma reprodução tridimensional.

9. Aspirador de oceanos – Criado por um jovem de 19 anos, o Ocean Cleanup Project se propõe limpar o lixo dos mares. O projeto leva uma barragem flutuante ao Oceano Pacífico e utiliza as correntes marítimas para ser bem-sucedido na tarefa. Em fase de teste, os protótipos estão atuando para que em um futuro, o fluxo de lixo descartado nos oceanos não exista mais.

10. Drones – Neste ano, o uso dos drones alcançou patamares inimagináveis: melhorou a produção agrícola, operou em grandes resgates em acidentes, captou imagens desconhecidas e começou a se firmar para fins comerciais. A adesão às aviações não tripuladas foi grande e, para 2016, há um projeto em Ruanda de construção de um “Droneporto”, que ajudará o país a levar suprimentos para as regiões rurais do país.