Infraestrutura > Rede

Processos rígidos tornam infraestrutura e operações menos ágil, afirma Gartner

Ao focarem em otimizar a empresa internamente, muitos executivos de TI criam processos rígidos de infraestrutura e esquemas de serviços uniformes e acabam perdendo oportunidades de serem mais ágeis

05 de Abril de 2017 - 18h47

Muitos executivos responsáveis pela infraestrutura e operações de TI (I&O), ao focarem por muito tempo em otimizar a empresa internamente, criam processos rígidos de infraestrutura e esquemas de serviços uniformes e acabam perdendo oportunidades de serem mais ágeis.

A constatação é de um relatório do Gartner, o qual ambém mostra como determinar os objetivos da organização em relação à I&O. “A maioria desses líderes está em companhias ainda estruturadas em torno de domínios e silos de tecnologia convencionais que não atendem bem aos requisitos corporativos mais recentes como a TI bimodal ou empresas e plataformas digitais. Eles estão lutando para otimizar as operações de TI e identificar onde concentrar seus esforços de agilidade”, afirma Hank Marquis, diretor de pesquisas do Gartner.

Para a criação de uma área de infraestrutura e operações ágil, com alto desempenho e alinhada aos negócios da empresa, o Gartner lista cinco passos para os líderes de I&O de TI.

1. Melhore as transações de I&O tanto nos negócios como em outras funções de TI

Concentre-se em melhorar as transações de alto nível de negócios e TI para estabelecer uma postura de inovação e agilidade robusta. Durante a Conferência Infraestrutura de TI, Operações e Data Center, que acontece este mês em São Paulo, analistas do Gartner explicarão como ter menos metas de melhoria de transações, porém bem orientadas, pode proporcionar mais sucesso de forma mais rápida do que implementar iniciativas mais abrangentes para aumentar o desenvolvimento do negócio.

2. Avalie sua capacidade atual

Avalie a sua atual capacidade de I&O de identificar possíveis obstáculos e oportunidades com base no entendimento do que você já alcançou até o momento. Só assim os líderes de I&O podem planejar a transformação necessária. Para fazer essa avaliação, concentre-se em três áreas: maturidade organizacional, satisfação do cliente e engajamento dos funcionários.

3. Planeje como fazer pequenas mudanças

Projete mudanças menores e mais frequentes, voltadas à redução do “atrito nas transações”, para inspirar os executivos que podem ajudar a garantir que os planos de aprimoramento recebam a atenção e os recursos necessários. Comunicar-se na linguagem de negócios é fundamental para inspirar o público-alvo.

4. Execute e valide as tarefas foco

Um dos maiores empecilhos para a execução bem-sucedida do plano pode ser superestimar o que pode ser feito dentro do prazo estabelecido. É essencial mostrar que a melhoria está acontecendo e que isso se traduz em valor agregado para a empresa. Ao realizar tarefas que terão um impacto real e perceptível (como focar em melhorar as transações), o plano de aprimoramento pode ganhar força e mais adeptos por parte da equipe de I&O e de outras áreas.

5. Não pare de fazer melhorias

Para alcançar e manter operações ágeis, é necessário que a avaliação periódica e o aprimoramento contínuo façam parte da cultura da organização. Análises trimestrais ou semestrais são recomendadas para determinadas áreas durante o processo de aprimoramento. As empresas mais bem-sucedidas concentram-se em menos tarefas diretamente voltadas para as transações com usuários e clientes e as entregam, identificando os próximos passos e melhorando continuamente.