Internet > e-commerce

Preços do e-commerce continuam em queda, aponta Índice Fipe Buscapé

Segundo levantamento, redução foi impulsionada principalmente pela categoria Telefonia, com queda 12,01%, a mais procurada durante o Dia do Consumidor

13 de Abril de 2017 - 16h12

Os preços do comércio eletrônico registraram deflação de 2,36% em março, na comparação com o mesmo período de 2016, aponta o Índice Fipe Buscapé. Foi o quarto mês seguido de deflação, após uma série de 21 meses de preços em alta. Em relação a fevereiro de 2017, os preços registraram queda de 0,76%. 

Entre as 147 categorias monitoradas pelo índice, 94 delas registraram aumento de preços em março, na comparação com o mesmo período do ano passado. A deflação, porém, foi impulsionada pela expressiva baixa nos preços de celulares e smartphones, que foi de 12%. 

"As categorias mais desejadas no Dia do Consumidor, celebrado no dia 15 de março, foram as que apresentaram maior retração, por conta dos descontos oferecidos pelos varejistas. Além dos celulares e smartphones, os produtos de Fotografia (-5,43%), Informática (-3,04%) e eletrônicos (-2,09%) também registraram quedas expressivas de preço", explicou Sandoval Martins, CEO do Buscapé.

Segundo a empresa, a cesta de produtos do e-commerce tende a ser deflacionária em condições ideais de mercado por conta de sua composição e características. A comparação é feita sempre dos mesmos produtos, que tendem a custar menos com a disseminação da tecnologia, lançamento de um produto superior na mesma categoria ou troca de coleção e mostruário. 

A inflação dos preços gerais, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi de 4,57% nos últimos 12 meses terminados em março, o que mostra que os preços do comércio eletrônico tiveram variação de -6,6% em relação aos preços gerais da economia.

COMO FUNCIONA

O Índice de Preços Fipe Buscapé acompanha os preços de produtos oferecidos no comércio eletrônico brasileiro desde 2011. São considerados cerca de 41 mil produtos únicos, que representam aproximadamente 80% das compras por meio deste canal. O índice é calculado com base em mais de 3 milhões de preços mensais, extraídos da plataforma do Buscapé, e em pesos derivados de pesquisa anual com cerca de 3,6 milhões de e-consumidores, realizada pela Ebit, empresa referência em informações sobre o e-commerce do país. Os dados também estão disponíveis no site da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).