Você está vendo o preview de um conteúdo premium Torne-se um Insider para ler o artigo inteiro.
Mobilidade > Estratégia

Por que o Android não vence o iPhone no mercado corporativo?

Três fatores que podem limitar o avanço do sistema operacional móvel do Google nas estratégias de mobilidade dos CIOs

18 de Maio de 2016 - 07h15

Três fatores que podem limitar o avanço do sistema operacional móvel do Google nas estratégias de mobilidade dos CIOs

Ao redor do mundo, smartphones Android estão na mão da maioria das pessoas. A vantagem frente a vendas de aparelhos com outros sistemas operacionais é ampla. Porém, há um fato interessante que vale uma ressalva, por constrastar com o cenário geral: 70% dos dispositivos em uso nas empresas norte-americanas são iPhones.

As últimas versões da plataforma móvel do Google trouxeram muitas evoluções em termos de segurança e gerenciamento. O fabricante mais engajado na tecnologia (a Samsung, no caso) oferece telefones inteligentes de qualidade, como o Galaxy S7, bem como sistemas de proteção certificados pelo governo dos Estados Unidos. Mesmo assim, a Apple segue um fenômeno.

A interrogação que permanece é: se, atualmente, as empresas podem adotar boas ferramentas baseadas na plataforma do Android, por que não o fazem? A seguir, apresentamos três justificativas que talvez soem plausíveis.

1. Falta de confiança

Desde o surgimento do Android, o Google nunca demonstrou muita preocupação com relação a questões de gerenciamento e segurança. Em contraste, a Apple assumiu uma postura séria nesse sentido ainda em 2010. Alguns analistas, observando aquele momento, classificam que foi algo já pensado para abocanhar uma fatia de usuários BlackBerry assim que os iPhones se tornassem populares no mundo de consumo.