Aplicações

O que a Cortana, da Microsoft, sabe sobre os usuários?

Guia revela o quanto a assistente virtual do Windows 10 sabe sobre usuários e dá dicas sobre como gerenciar tais informações

19 de Junho de 2018 - 14h19

A Cortana é a assistente digital do Windows 10 e, assim como a Siri, a assistente do Google e a Alexa, da Amazon, sua utilidade depende da quantidade de informações que o usuário permite que ela acesse. Ela só poderá ser realmente útil se a pessoa der permissão para acessar seus contatos e contar a ela sobre seus relacionamentos. A ferramenta não pode dizer, por exemplo, que a esposa de um usuário está ligando se ela não souber quem é a esposa. 

Permitir que ela acesse a agenda, os e-mails e muito mais significa que a pessoa receberá informações melhores quando fizer uma pergunta à Cortana, como "o que está na minha agenda hoje" ou "quando é meu voo para Nova York". 

A Cortana também pode combinar vários serviços, como e-mail e mapas. Então, se houver um engarrafamento que atrasaria a pessoa no caminho para o aeroporto ou em uma reunião, a Cortana poderia notificá-lo de que precisa sair antes do esperado. 

Mas o que ela realmente sabe sobre os usuários? 

A Microsoft tem, ao longo dos anos, dado aos usuários um controle mais granular sobre o que eles querem que a Cortana possa e não possa fazer. Esta é uma visão geral das informações que o usuário pode permitir ou negar acesso: 

  • Sua localização; 

  • Seus contatos, email, calendário e histórico de mensagens; 

  • Seu histórico de navegação (no Microsoft Edge); 

  • O microfone do seu dispositivo, o histórico de digitação e os padrões de caligrafia; 

  • Lugares que você visita, além de seus locais de residência e trabalho; 

  • Informações de qualquer serviço conectado que você aprova; 

Algumas delas estão agrupadas, pois você não pode ativar ou desativar o acesso a serviços individuais: é tudo ou nada. 

Quando a pessoa desativa qualquer uma dessas coisas, a Cortana para de coletar essas informações, mas mantém o que ela já "aprendeu". 

Para obter uma visão geral do que ela sabe, é só dar olhada no Caderno de Anotações. Para isso, basta clicar na caixa de pesquisa ao lado do botão Iniciar no Windows e, em seguida, no ícone quadrado com um pequeno círculo, logo abaixo do ícone da página inicial. 

O “Organizador” inclui suas listas e lembretes. Em Gerenciar habilidades, é possível conectar serviços à Cortana e ver quais já estão vinculados. Ali, podem ser ativadas ou desativadas as notificações de serviços como previsão do tempo, voos, reuniões, notícias e manchetes de esportes. 

O usuário pode ler a Declaração de Privacidade da Microsoft para saber mais sobre o que ela faz com os dados coletados. 

Lembre-se de que o que a Cortana sabe depende do dispositivo que o usuário está usando, que provavelmente é o Windows. Mas também há o aplicativo Cortana para Android e iPhone, que não é muito conhecido. No entanto, se a pessoa usa a Cortana, faz sentido instalar o aplicativo em seu smartphone para receber lembretes quando não estiver usando seu computador ou laptop. 

Como posso deletar o que a Cortana sabe? 

A pessoa pode limpar o histórico da Cortana - todas as informações que ela armazenou - clicando na caixa Pesquisar do Windows 10 e, em seguida, na peça Configurações. 

Clique em Permissões e Histórico e, em seguida, em "Alterar o que a Cortana sabe sobre mim na nuvem". Isso abrirá o menu Cortana na parte inferior esquerda da tela. Ao rolar para baixo, estará o botão "Limpar" na seção "Limpar suas informações pessoais". 

Ao clicar nele, o botão mudará para "Suas recomendações foram apagadas". 

Os dados armazenados também podem ser deletados ao fazer o login na conta da Microsoft no site da empresa.