Mobilidade > Internet das Coisas, Tendências

Nvidia pretende equipar carros sem motorista com "supercomputador"

Drive PX 2 equivale a 150 Macbooks Pro. Computador ajudará carros autônomos a reconhecer melhor sinais, vias e objetos

05 de Janeiro de 2016 - 13h03

Se o novo “supercomputador para carros” da Nvidia chamado “Drive PX 2” funcionar como prometido, carros sem motorista não terão tanto problemas com a polícia.

O computador introduzido durante a feira internacional de eletrônicos CES 2016, nessa segunda-feira (4) em Las Vegas, irá dentro do porta-malas e ajudará carros autônomos a reconhecer melhor sinais, vias e objetos.

O computador joga muita potência computacional para processar imagens nas quais veículos conseguem analisar situações na estrada e tomar uma ação.

Por exemplo, o Drive PX 2 conseguirá ajudar carros a diminuir a velocidade ao reconhecer semáforos e sinais que indicam limites de velocidade. Da mesma forma, conseguirão detectar pedestres e faixa de pedestres. Em uma demonstração, a Nvidia apresentou o Drive PX 2 reconhecendo tipos de veículo, bicicletas e outros objetos na estrada.

Além de reconhecer objetos, o Drive PX 2 consegue treinar um carro para que ele tenha “consciência” sobre sua localização e contexto.

A expectativa é que com o tempo, carros se tornarão especialistas em lidar com diferentes situações em diferentes locais. Os algoritmos treinados de um carro conseguem ser enviados para a nuvem para desdobramento em outros veículos.

Carros que se estacionam sozinhos foram desenvolvidos ao longo do tempo com câmeras de alta resolução e tecnologia ultrassônica, porém carros que se dirigem sozinhos exigem mais dados e mais sensores.

O Drive PX 2 conseguirá processar informação a partir de múltiplas câmeras de alta resolução, GPS, radar, LIDAR e outros componentes de coleta de dados de um carro.

Atualmente, o foco do PX 2 é detectar e reconhecer objetos, mas a Nvidia quer que carros sem motorista também consigam reconhecer circunstâncias. Por exemplo, um carro sem motorista poderia ser capaz de distinguir uma ambulância de uma caminhonete e diminuir a velocidade.

Da mesma forma, um carro conseguirá reconhecer condições de neve e operar em uma estrada cujas vias estão escondias. Mas tais padrões de aprendizado são complexos, e pode levar um tempo até que carros sem motorista conseguiam lidar com tais situações.

O Drive PX 2 conta com 12 núcleos CPU, oferece 8 teraflops de pontos flutuantes, conta com duas GPUs Pascal e consome 250 watts. É o equivalente a “150 MacBooks Pros no seu porta-mala”, disse Jen-Hsun Huang, CEO da Nvidia, durante coletiva de imprensa na CES.

Segundo Huang, o Drive PX 2 é muito menor do que outros computadores que vão nos porta-malas de carros autônomos.

A primeira montadora de carros que se beneficiará da tecnologia será a Volvo, que a usará em cerca de 100 carros, disse o executivo.

A Nvidia já trabalha com outras montadoras de elite, caso da Ford, Audi e BMW em várias tecnologias para carros.

O Drive PX 2 será enviado a alguns parceiros no segundo trimestre desse ano e se tornará disponível de forma geral a partir do quarto trimestre de 2016.