Negócios > Resultados Financeiros

Nuvem continua a puxar crescimento da SAP no Brasil e no mundo

As novas reservas de soluções em nuvem da multinacional alemã cresceram 14% e atingiram 302 milhões de euros no terceiro trimestre, enquanto a receita com subscrições em nuvem e suporte totalizaram 937 milhões de euros

19 de Outubro de 2017 - 20h28

A SAP conseguiu manter o crescimento da receita com seu negócio de nuvem no terceiro trimestre, o que teve um impacto positivo tanto na receita global quanto no lucro. As novas reservas de soluções em nuvem cresceram 14% (19% em moeda constante) e atingiram 302 milhões de euros, enquanto a receita com subscrições em nuvem e suporte totalizaram 937 milhões de euros.

A receita global da SAP entre julho e setembro somou 5,5 bilhões de euros, alta de 4% na comparação com igual período de 2016, quanto atingiu 5,3 bilhões de euros. Apesar do forte crescimento da receita com soluções em nuvem, a maior fatia da receita total ainda vem da venda de licenças de software (on premises), que somaram 3,7 bilhões de euros no trimestre.

A mesma tendência foi verificada na SAP no Brasil, cujas ofertas de nuvem continuaram a puxar o crescimento da subsidiária. Embora a SAP não divulgue números regionais, a operação local da empresa informa que a receita dos contratos de cloud no terceiro trimestre subiu dois dígitos. Este foi o sétimo trimestre consecutivo em que o desempenho com aplicações em nuvem foi o grande destaque.

Outro indicativo que demonstra a performance positiva da SAP Brasil no trimestre em relação à computação em nuvem é o fato de ter aumentado em dois dígitos o número de novos clientes de nuvem em sua base. "O crescimento registrado mais uma vez pela SAP demonstra o acerto de nosso foco em manter uma parceria total com nossos clientes, entendendo as diferentes jornadas de cada um e seus desafios para desenvolver e propor as soluções de negócios mais assertivas", salienta Cristina Palmaka, presidente da SAP Brasil.

Ainda no que diz respeito ao desempenho da empresa abrangendo a computação em nuvem, o destaque no portfólio foi a solução de gestão SAP S/4HANA cloud, que atingiu um crescimento de mais de três dígitos. "Esse resultado reforça a nossa estratégia em oferecer ao mercado uma plataforma completa para o ERP, rodando em cloud e com toda a infraestrutura e suporte já prontos. Esse é um nosso importante diferencial", lembra Cristina.

Outro item do portfólio de nuvem que teve relevância no resultado financeiro no trimestre foi a solução de gestão de capital humano SAP SuccessFactors. A receita com as vendas da aplicação subiu três dígitos. Por fim, a subsidiária brasileira aumentou em dois dígitos seus ganhos com a solução SAP HANA Enterprise Cloud, plataforma que permite a transição de aplicações on premises para um ambiente de nuvem, com processamento em tempo real.

Em se tratando de mercados em que a SAP Brasil alcançou resultados positivos, o destaque ficou com o agronegócio, em que a empresa obteve alta de mais de três dígitos em suas vendas para empresas do setor. Um dos clientes do segmento que escolheu a SAP para trilhar uma jornada de transformação digital foi a Citrosuco, uma das primeiras empresas a adquirir algumas soluções do portfólio SAP Leonardo, que inclui tecnologias inovadoras como Internet das Coisas (IoT), machine learning, blockchain, big data, análise de dados e a plataforma para desenvolvimento de aplicações em nuvem SAP Cloud Platform.

O trimestre foi positivo também para os resultados com pequenas e médias empresas. A SAP Brasil aumentou em três dígitos as vendas do principal produto da empresa para PMEs, o software de gestão SAP Business One.

Recorde na América Latina

Olhando para a América Latina, a SAP registrou seu melhor desempenho com as vendas em nuvem. Esse foi o melhor terceiro trimestre da história da SAP na região.

Com um crescimento de dois dígitos nas vendas em nuvem, puxadas pelo bom desempenho no Brasil, o destaque fica para solução SAP SuccessFactors, cuja receita cresceu dois dígitos. Clientes como o Bancolombia, o maior banco varejista da Colômbia, com operações em outros países da América Latina e Caribe, escolheram a aplicação para gerenciar o desenvolvimento de seus mais de 32 mil funcionários.