Telecom > Telecom

Número de linhas de telefonia fixa volta a registrar queda em maio

A redução do número total de linhas em operação no mês foi de 75,3 mil, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 17, pela Anatel

17 de Julho de 2017 - 18h45

A telefonia fixa registrou 41,29 milhões de linhas em operação no mês de maio, o que representa uma diminuição de 2.277 mil (-0,01%) para as operadoras autorizadas e 73,08 mil (-0,30%) para as concessionárias na comparação com o mês anterior. Do total de linhas no mês, as autorizadas responderam por 16.931.393 e as concessionárias, por 24.361.894, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 17, pela Agência Nacional de Telecomunicações.

A base de telefonia fixa do Brasil já havia encolhido 3,5% em abril na comparação ao mesmo período do ano passado, para 41,36 milhões,

Entre as autorizadas, a Algar Telecom apresentou a maior evolução, de 9,27 mil linhas (+3,36%) no mês de maio quando comparado com abril, seguida pela TIM com 3,70 mil linhas (+0,70%). As empresas que apresentaram as maiores quedas foram a Claro, com menos 46,97 mil linhas (-0,43%) e a Vivo, com diminuição de 11,36 mil (-0,24%). A Algar também foi a que registrou o maior crescimento entre as concessionárias, com 5,77 mil linhas (+0,78%), seguida pela Claro com 27 novas linhas fixas (+1,52%). As demais operadoras registraram diminuição.

Nos últimos 12 meses, a Algar Telecom liderou o aumento de linhas nas autorizadas, com 33,25 mil novas linhas (+13,18%), seguida da Oi com 9,82 mil (+6,28%). As operadoras que registraram maior diminuição foram a Claro, com menos 468,81 mil (-4,13%) e a TIM com menos 76,4 mil linhas (-12,54%). Nas concessionárias o número de maior evolução também foi para Algar Telecom, que teve acréscimo de 17,79 mil linhas (+2,44%), seguida da Sercomtel com 4,67 mil (+2,72%). Nesse setor, empresas que apresentaram maior queda foram a Oi, com menos 713,27 mil (-4,89%) e a Vivo com menos 378,38 mil (-3,80%).

Os estados que apresentaram as maiores evoluções no mês de maio deste ano quando comparado com abril, no grupo das autorizadas, foram o Mato Grosso, com aumento de 360,43 mil (+233,58%), seguido do Rio de Janeiro, com 222,03 mil novas linhas (+10,64%). Já os estados que apresentaram as maiores quedas foram o Distrito Federal, com menos 312,68 linhas (-50,57%) e Minas Gerais com menos 224,66 mil (-16,91%).

As concessionárias registraram crescimento nos estados do Piauí, com 246 novas linhas fixas (+0,16%) e do Acre, com 40 linhas (+0,07%). Rio de Janeiro e São Paulo apresentaram as maiores quedas, com menos 19,19 mil (-0,66%) e menos 13,54 mil (-0,14%), respectivamente.

O Mato Grosso também lidera a evolução nos últimos 12 meses no grupo das autorizadas, com 360,72 mil linhas fixas (+234,21%), seguida por Santa Catarina, que teve acréscimo de 128,03 mil linhas (+19,13%). Nesse setor, os estados que registraram maior diminuição foram também o Distrito Federal, com menos 308,20 mil (-50,20%) e Minas Gerais com menos 257,70 mil (-18,93%). Já nas concessionárias os estados que mais cresceram foram o Goiás com 5,78 mil linhas (+0,76%), seguido do Piauí com 455 linhas (+0,30%). As regiões que registraram as maiores quedas foram São Paulo, com menos 376,41 mil (-3,72%) e Rio de Janeiro, com menos 185,69 mil (-6,06%).