Internet > APIs, Aplicativos, I.A.

Novo Drupal será movido a interfaces de conversação e IA

Acquia Labs está preparando o CMS de código aberto para suportar interfaces de conversação baseadas em inteligência artificial, como o Echo, da Amazon, e o Siri, da Apple

23 de Novembro de 2016 - 10h50

A Acquia Labs está preparando o seu sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) de código aberto Drupal para suportar interfaces de conversação como o Echo, da Amazon, um aparelho que permite que as pessoas usem comandos de voz para obter informações, organizar horários e realizar compras online, inclusive o seu assistente virtual Alexa, bem como o Siri, da Apple, entre outras interfaces sem browser.

A empresa não tem ambição de produzir carros autônomos ou fotografar coisas no espaço como o Google X, mas o seu braço de pesquisa aplicada vem desenvolvendo uma série de novas aplicações para o que, acredita ela, será uma computação sem o browser tal qual conhecemos hoje.

O gerente de desenvolvimento da Acquia Labs, Preston So, veterano que há nove anos participa da comunidade Drupal, compartilhou sua visão  sobre o novo sistema durante o evento anual da empresa para clientes, chamado Engage, realizado em Boston nesta semana.

A realidade é que muitos clientes da Acquia ainda não estão preparados para mostrar bons novos sites baseados em Drupal para substituir os atuais. A má notícia para eles é que ter um ótimo site é apenas o ponto de partida para servir aos clientes que, antes de saberem que poderiam consumir muito mais conteúdo por outros meios, seja chatbots, sistemas de realidade aumentada/virtual ou interfaces de conversação como a Amazon Echo e Apple Siri.

"Estamos em meio a uma revolução de conteúdo bastante fundamental e de uma reinvenção de como entregamos esse conteúdo", diz So, que se manteve em silencio sobre as novas funcionalidades do Drupal por cerca de um ano. "Temos também essa explosão de novos pontos de contato."

Esta, sem dúvida, é uma mudança dramática para os clientes da Acquia, mas também para a empresa e o próprio projeto Drupal, que foram focados na web como o principal ponto de contato para a entrega de conteúdo. Apesar da mudança, a Acquia vê Drupal desempenhando um papel fundamental como um repositório de conteúdo ("uma única fonte de verdade") para esses canais emergentes e pontos de contato.

Assim, diz distribuição de conteúdo está se movendo mais para um modelo de push (em que a requisição para determinada ação é iniciada pelo publicador ou servidor central) do que um pull one (em que a requisição é iniciada pelo receptor), e que as pessoas e dispositivos estão cada vez mais interagindo com conteúdo em contexto, em vez de simplesmente consumi-lo.

A Acquia Labs, que atualmente tem apenas alguns desenvolvedores, está olhando para os clientes e parceiros para ajudá-la a descobrir exatamente onde concentrar seus esforços — e para ajudar a financiar esses esforços. O laboratório prevê finalizar todo o projeto em até 36 meses, mas tentará realizar provas de conceito de funcionamento em poucas semanas e entregar novos produtos dentro de nove meses.

Uma área que o laboratório já está explorando é o potencial de interfaces de conversação baseadas  em inteligência artificial (IA), como o Echo, da Amazon, o Cortana, da Microsoft, Siri, da Apple, e o Google Now. O Amazon Echo é uma plataforma bastante aberta para desenvolvedores, mas a Apple e a Microsoft são mais aguerridas, disse So, numa alusão ao fato de serem mais fechadas. Ele imagina até mesmo os administradores de TI um dia usando interfaces de conversação para gerenciar o Drupal e outros sistemas, e acredita que essas interfaces trarão um ganho geral para o conteúdo.

A Acquia Labs também está ansiosa para explorar as tecnologias de Internet das Coisas, que serão bastante úteis para os varejistas que quiserem "empurrar" o conteúdo certo para a pessoa certa, no dispositivo certo", diz So. O Drupal já está sendo usado em aplicações de IoT, como é feito pelo Departamento de Trânsito de Nova York, mas a personalização de conteúdo ainda terá de aguardar o próximo grande passo.