Negócios > Estratégia, Smartphones, Windows Phone

Microsoft faz baixa contábil de US$ 7,6 bi referentes à Nokia e demite 7,8 mil

Satya Nadella, CEO da fabricante, anunciou que a companhia não tentará mais manter uma divisão de negócios de telefonia móvel de maneira autônoma

08 de Julho de 2015 - 12h00

O CEO da Microsoft, Satya Nadella, anunciou na quarta-feira (08/07) o refinamento da nova estratégia da companhia e o aprofundamento das ações de abandonar os negócios que não se encaixam nos novos planos.

O executivo comunicou que a companhia fará a baixa contábil (write off) de US$ 7,6 bilhões, referentes ao valor da operação da Nokia, comprada no ano passado por US$ 7,2 bilhões, e também informou que fará a demissão de 7,8 mil funcionários, o que representa praticamente um terço dos colaboradores da divisão de smartphones. 

A fabricante não tentará mais manter uma divisão de negócios de telefonia móvel autônoma. Em vez disso, pretende criar um ecossistema para embarcar o Windows em distintas marcas de aparelhos, apontou Nadella, em um e-mail enviado a colaboradores.

As demissões de hoje juntam-se aos cortes de 18 mil funcionários feitos em 2014. Na soma total das demissões, cerca de metade dos 25 mil empregados que se juntaram à Microsoft a partir da compra da Nokia foram eliminados.

A fabricante explicou que a mudança dos planos na área de telefonia móvel levaram à baixa contábil de US$ 7,6 bilhões, relativos a bens associados à aquisição da Nokia Devices and Services, e a uma despesa de reestruturação entre US$ 750 milhões e US$ 850 milhões.

As demissões devem acontecer até o final do ano, informou a Nadella. Mais informações sobre as decisões serão divulgadas em 21 de julho, quando a companhia anuncia oficialmente seu resultado financeiro do trimestre.