Negócios > Cloud Pública, PaaS

Microsoft leva projeto para fazer o site das Olimpíadas de 2016

Em termos de processamento, iniciativa representa o maior contrato de nuvem fechado pela fabricante no Brasil

07 de Abril de 2015 - 16h04

A Microsoft fechou um contrato de patrocínio com o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016. Pelo acordo, a companhia será responsável pelo desenvolvimento do site dos Jogos Olímpicos, Paralímpicos e do Revezamento da Tocha Olímpica. A estrutura rodará sobre a plataforma de nuvem Azure em diferentes data centers espalhados ao redor do mundo.

Em termos de processamento, este é o maior contrato de cloud já fechado pela fabricante no Brasil, com estimativa de 11,5 mil pageviews por segundo em momentos de pico; 38 gigabits por segundo de tráfego de dados; e 4 Petabytes de dados processados durante todo o período dos jogos.

Toda a agenda, resultados das competições, informações estatísticas disponíveis no portal serão armazenadas na plataforma. O projeto faz parte de uma solução integrada de tecnologia para os Jogos Rio 2016 desenvolvida e gerenciada pela Atos, parceira do Comitê Olímpico Internacional.

De acordo com a fabricante, o site também é composto por um modelo de arquitetura inteligente, que permite o máximo de eficiência na interação do usuário. Dessa forma, ao reconhecer o tipo de dispositivo e a região de onde está sendo acessado, a página seleciona automaticamente o idioma e o modelo de tela mais adequado para a melhor experiência.

Nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 cerca de 40% de todo o acesso ao conteúdo relacionado ao evento foi feito por meio de smartphones e tablets. A expectativa para os jogos de 2016 é que esse fluxo chegue a 60%.

Histórico

A Microsoft iniciou a parceria com o Comitê Organizador por meio do Office 365, ferramenta de produtividade utilizada. Atualmente, cerca 900 pessoas da organização usam a ferramenta. Para o período dos Jogos, a estimativa é que o volume de usuários atinja 40 mil, somando os cerca de 15 mil diretos e também os voluntários, que utilizarão PCs, smartphones e tablets no dia a dia das competições.