Negócios

Bancarização traz desafio para instituições financeiras

Na avaliação de Roberto Bisca, da IBM, a transformação dos negócios será necessária para atender à nova massa de clientes.

16 de Junho de 2011 - 15h48

O Brasil possui hoje mais de 50 milhões de pessoas não bancarizadas, número que representa 53% da população, segundo dados do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). Esse cenário, de acordo com Roberto Bisca, líder de soluções para a indústria financeira da IBM na América Latina, traz desafios para os bancos do País. “Ao conquistar essa massa de clientes, instituições financeiras deverão se transformar para atendê-los adequadamente”, diz.

Essa demanda, identificada por um estudo global realizado pelo IBM Instituto for Business Value em parceria com o Economist Intelligence Unit, sinaliza, na visão de Bisca, a necessidade de as companhias do setor investir cada vez mais em inovação. “Elas entendem que precisam passar por uma transformação para captar oportunidades e ampliar a lucratividade, mas devem se preparar”, aponta.

Tecnologia é, prossegue, uma das formas de ajudar os bancos nessa missão. Faz parte da lista também o foco no planejamento e nos processos. “A IBM busca mostrar que, embora o desafio seja grande, existem ferramentas que podem auxiliar no processo.”

Como exemplo, ele cita as soluções analíticas, que transformam dados em informações de valor para a tomada de decisões. “Tecnologias de análise eliminam as fronteiras para a inovação, quem tiver visão vai se beneficiar delas”, afirma.

Na opinião do executivo, os bancos brasileiros contam com sistemas avançados, mas a é transformação algo novo para eles. Noventa por cento dos entrevistados pela pesquisa da IBM apontaram que essa mudança é crítica no cenário atual e indicaram quatro caminhos para viabilizar a mudança: gerenciamento de riscos, excelência em serviços ao cliente, gerenciamento de capital e eficiência de custos.

“Quem acompanhar essa evolução, não só crescerá como deverá fomentar o incremento da economia”, finaliza o executivo.