Negócios > Resultados Financeiros

Negócio de nuvem ajuda IBM a superar estimativas de receita de Wall Street

Embora a receita da empresa tenha registrado uma ligeira redução no terceiro trimestre, marcando o 22º trimestre consecutivo de queda, os serviços em nuvem atingiram US$ 4,1 bilhões no período, aumento de 20% ano sobre ano

17 de Outubro de 2017 - 21h02

A IBM se beneficiou dos negócios novos e antigos no terceiro trimestre deste ano, pois tanto suas ofertas de computação em nuvem quanto as vendas de mainframes a ajudaram a superar as estimativas de receita para o período feitas por analistas de Wall Street.

Embora a receita tenha registrado uma ligeira redução na comparação trimestral anual, marcando o 22º trimestre consecutivo de queda, a IBM parece estar crescendo no que ela chama de receita de "imperativos estratégicos", como a computação em nuvem, ofertas de software como serviço (SaaS) e computadores de grande porte.

Os serviços em nuvem registraram receita de US$ 4,1 bilhões no trimestre, um aumento de 20% em relação ao terceiro trimestre do ano passado. Se comparada com o segundo trimestre do ano passado, a receita com nuvem foi 15% acima, totalizando US $ 3,9 bilhões.

Os mainframes da linha System Z, recentemente lançados pela empresa, também reforçaram a última linha do balanço, com um crescimento de 10% ano sobre ano, para US$ 1,7 bilhão.

No segmento de soluções cognitivas —que incluem soluções de software e softwares de processamento de transações —, a receita somou US $ 4,4 bilhões, 4% maior, impulsionada por softwares de segurança e análise, e softwares de processamento de transações.

Já em serviços, o desempenho não foi nada bom. No segmento de serviços empresariais — que inclui consultoria, serviços de terceirização de processos de negócios e gerenciamento de aplicativos —, a receita foi de US$ 4,1 bilhões, queda de 2%.  Seguindo a mesma tendência, a receita com serviços tecnológicos e plataformas em nuvem —  que inclui serviços de infraestrutura, serviços de suporte técnico e software de integração — a receita foi de US$ 8,5 bilhões, queda de 3%.

Por fim, a área de sistemas —que inclui sistemas de hardware e software de sistemas operacionais —, a receita totalizou US$ 1,7 bilhão, aumento de 10%, impulsionada pelo crescimento em sistemas e armazenamento. Já na área de financiamento global (financiamento e vendas de equipamentos usados), a receitas somou US$ 427 milhões, 4% acima na comparação trimestral anual.

O lucro líquido da IBM no terceiro trimestre registrou queda de 3,5%, de US$ 2,8 bilhões um ano antes para US$ 2,7 bilhões entre julho e setembro deste ano.

Os resultados, no entanto, foram bem recebidos por Wall Street. Logo após a divulgação do balanço nesta terça-feira, 17, as ações da empresa no after-hours trading, negociação após o fechamento da Bolsa de Nova York (NYSE), encerraram cotadas a US$ 153,48, alta de quase 5%.