Telecom > Telecom

Não houve interrupção de redes de telecom durante greve dos caminhoneiros, garante Anatel

Presidente da Agência diz que Anatel está pronta para evitar possíveis falhas em serviços

30 de Maio de 2018 - 12h03

Juarez Quadros, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), participou na última terça-feira de audiência pública na Câmara dos Deputados para para debate sobre panorama atual das telecomunicações no Brasil. O tema greve dos caminhoneiros, claro, esteve em pauta.

Quadros disse que equipes da Anatel estão mobilizadas e têm estratégias de segurança para evitar interrupções de serviços de comunicação no Brasil em decorrência da paralisação nas estradas. Segundo ele, até agora não houve nenhum problema desse tipo, mas a situação não deixa de ser preocupante e é necessário que a crise seja resolvida.

“A rede [de telecomunicações] é muito exposta, e nós temos uma área na agência que controla os pontos críticos e sensíveis. Há uma equipe bem significativa de pessoal acompanhando os desdobramentos da crise. Até este momento, não aconteceu nenhuma interrupção”, comentou o presidente da Anatel.

O debate foi promovido por iniciativa do presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, deputado Goulart (PSD-SP).

Quadros explicou também que normalmente a agência já trabalha com “suporte de redundância” para que, na eventual falta de geração de energia térmica, a área afetada seja atendida por geradores alimentados por combustível do tipo óleo diesel: “Essa redundância sempre existe, é uma prática antiga, na qual não se tem, nos pontos sensíveis, apenas um grupo, mas no mínimo dois grupos [de geradores de energia]. Então, há uma segurança relativa; entendo que esta crise não pode demorar tanto, porque há sempre um limite. A energia é um grande insumo para o setor de telecomunicações.”

Quadros lembrou que no caso de um cabo óptico ser danificado em um acidente em rodovia, por exemplo, a equipe de manutenção precisa de combustível para ir rapidamente ao local e restaurar o fornecimento de energia. Segundo ele, diante da greve dos caminhoneiros, a gerência da Anatel ligada a esse trabalho de manutenção foi reforçada em pontos estratégicos. “Estamos a postos”, destacou.

*Com informações da Câmara dos Deputados