Tecnologias Emergentes > Internet das Coisas, Robótica

Quando a Inteligência Artificial se conecta à Internet das Coisas

IA entra com o papel de assumir cada vez mais ações humanas, e essas ações serão aplicadas em dispositivos através da IoT

04 de Novembro de 2016 - 14h49

Muito se fala sobre o rápido e imponente avanço tecnológico. É difícil achar uma pessoa que nunca tenha ouvido o termo Inteligência Artificial. Mas, vamos com calma! Não vamos abordar aqui o espetáculo que vemos em filmes e os robôs destruidores da humanidade.

O que, afinal, é Inteligência Artificial? IA é um tipo de inteligência similar à humana, porém ela é manifestada por softwares. Ou seja, um tipo de tecnologia que potencializa a nossa capacidade racional. São realizados estudos constantes para que os sistemas possam realizar tarefas, que até então, os seres humanos fazem de forma melhor.

Colocando dessa maneira até parece algo muito distante da nossa realidade, quem sabe uma tecnologia que vai chegar até nós daqui pelo menos dez anos. Mas, se engana quem pensa assim. A Inteligência Artificial já está presente em nosso cotidiano em coisas que, por muitas vezes, nem percebemos.

Um bom exemplo de sua aplicação no dia a dia está nas nossas redes sociais. Alguns mecanismos avaliam os seus padrões de busca, o que você mais visualiza, e assim o conteúdo exibido em sua timeline é otimizado e como consequência, se torna mais relevante para você.

Os próprios corretores ortográficos dos editores de texto e dos nossos smartphones também são frutos da Inteligência Artificial. Para identificar que há algum termo escrito incorretamente, é preciso um sistema que aponte o problema e apresente a grafia certa.

No mundo corporativo, os sistemas de Inteligência Artificial também estão ganhando cada vez mais espaço. Por exemplo dentro do ramo industrial. O auxílio da tecnologia das máquinas é um fator importante na drástica diminuição dos erros, redução de custos e, assim, melhores resultados para a empresa.

Há um movimento conhecido como “robotização das fábricas”. Nele, através da Inteligência Artificial máquinas já são capazes de operar sem a necessidade de serem programadas por humanos, ou seja, são totalmente autônomas.

Outro exemplo é o atendimento ao cliente, que também está em processo de inicialização de ser feito por práticas de Inteligência Artificial. Trata-se de um sistema que reproduz ações humanas, como tomar decisões. O contato com o cliente acontece via chat e são passadas para ele instruções e informações sem que ele perceba que não é uma pessoa.

Internet das Coisas

Esse talvez seja um termo ainda desconhecido por muitos, mas que entra para a lista dos conceitos que cada dia mais vão fazer parte do nosso cotidiano. Internet das Coisas, ou IoT, do termo inglês Internet of Things, é a expressão que faz alusão a tecnologias que conectam itens simples, que usamos no dia a dia, à rede de computadores.

Vamos aos exemplos práticos: é cada vez mais comum o surgimento de meios de transporte, maçanetas, e utensílios domésticos conectados à internet e consequentemente a computadores e celulares.

O carro também entra para o rol de produtos tecnológicos. A tendência é que cada vez mais veículos estejam conectados e sejam capazes de se comunicar com o usuário através de aplicativos em seu smartphone.

No ramo dos negócios, a Internet das Coisas permite uma nova forma de interatividade com clientes, por exemplo. Dessa forma, as etapas de negócio são otimizadas e os custos diminuídos.

IA + IoT

Mas, qual é a efetiva relação entre Inteligência Artificial e Internet das Coisas? Principalmente se tratando de mercado, a Inteligência Artificial, quando aplicada à Internet das Coisas possibilitará que as empresas inovem seus sistemas de gestão e otimize o desenvolvimento de seus produtos.

Elas estão diretamente ligadas a partir do momento em que a Inteligência Artificial apura os dados gerados pelo sistema e permite que sejam utilizados de forma otimizada pela Internet das Coisas.

Ou seja, de nada adianta captar esse astronômico volume de dados, se eles não forem interpretados e utilizados da forma correta. A Inteligência Artificial entra com o papel de assumir cada vez mais ações humanas, com softwares cada dia mais sofisticados. E essas ações serão aplicadas em dispositivos através da Internet das Coisas.

Conclusão

Inteligência Artificial e Internet das Coisas são parte do mundo em que vivemos agora, não há como retroceder com tantas vantagens e otimizações possibilitadas pelo avanço tecnológico.

Porém, lidar com tanta inovação é um grande desafio tanto no âmbito pessoal, quanto para as empresas. Para conseguir lidar com a revolução que estamos passando é preciso ter uma mentalidade que se encaixe com ela e principalmente, estar sempre em busca de informação.

*Lúcio Matos é CEO da FinanceIT, empresa que fundou em 2011, cujas expertises são alocação de profissionais e também o desenvolvimento de soluções tecnológicas