Tecnologia > Sistemas Operacionais

Microsoft prepara versão 'fechada' do Windows 10 para empresas

Inspirada no Windows 10 S, lançado em maio com foco em escolas, nova versão do sistema também bloqueará aplicativos que não sejam da Microsoft Store

20 de Outubro de 2017 - 12h19

A Microsoft planeja oferecer aos seus clientes uma nova versão do Windows restrita, chamada atualmente de “Windows 10 Enterprise in S Mode”, em abril ou maio de 2018, segundo um diretor de marketing da companhia que apresentou o produto recentemente para desenvolvedores e profissionais de TI.

O Windows 10 Enterprise in S Mode será um sistema ‘fechado’ parecido com o Windows 10 S, anunciado pela Microsoft em maio. Mas enquanto o 10 S original era voltado para o mercado de educação, o Enterprise in S Mode será focado para o mercado corporativo, como seu nome deixa claro.

Durante uma sessão de 40 minutos realizada durante a conferencia Ignite, há algumas semanas em Orlando, nos EUA, o diretor de marketing de produtos do grupo Windows, Augusto Valdez, apresentou a nova plataforma da empresa de Redmond.

“Até a primavera de 2018 (no hemisfério norte), entre abril e maio de 2018, também teremos uma versão do Windows 10 Enterprise neste modo (S), que aproveitará as funcionalidades corporativas que fazem sentido dentro do ambiente S”, afirmou Valdez. “É sobre ter o melhor do Windows 10 S e o melhor do Windows 10 Enterprise em um único pacote de assinatura.”

A assinatura citada por Valdez é a também recém-anunciada Microsoft 365 F1, um plano que custa 10 dólares ao mes por usuário e é voltado para as empresas que querem equipar seus funcionários com ferramentas de computação pessoal. O foco desse pacote seriam os trabalhos da “linha de frente”, como quem fica atrás do balcão, em campo ou no chão de fábrica.

O principal diferencial do Windows 10 Enterprise in S Mode é que, assim como o anterior Windows 10 S, o sistema só permitirá a instalação de apps adquiridos pela Microsoft Store.

Como os usuários não poderão instalar e rodar aplicativos Win32 tradicionais, o aparelho ficará mais seguro e menos suscetível a cair nas mãos de hackers, afirma a Microsoft.