Cloud Computing > I.A.

Microsoft desenvolve sistema para processar aplicações de IA em tempo real

Segundo a fabricante de software, o novo Brainwave consegue processar pedidos tão rápido quanto os recebe. Microsoft pretende oferecê-lo também em sua plataforma de nuvem Azure

23 de Agosto de 2017 - 17h26

A Microsoft apresentou nesta semana um sistema para operar serviços de aprendizado de máquina em alta velocidade e baixa latência. Batizado de Brainwave, trata-se de um novo sistema baseado em FPGA (sigla em inglês para arranjo de portas programáveis em campo) para inteligência artificial na nuvem. 

Durante a conferência Hot Chips, realizada em Cupertino, Califórnia, pesquisadores mostraram um modelo de Gated Recurrent Unit operando no novo chip Stratix 10 da Intel a uma velocidade de 39,5 teraflops, sem operações de lotes. A falta de lotes significa que é possível que o hardware manipule os pedidos à medida que eles entram, fornecendo informações em tempo real para sistemas de aprendizado de máquina.

Fornecer insights de baixa latência é importante para a implantação de sistemas de aprendizado de máquina em escala, tendo em vista que usuários não querem aguardar para que suas aplicações respondam. Segundo a Microsoft Research, trata-se de inteligência artificial em tempo real. 
 

"Nós desenhamos o sistema para IA em tempo real, o que significa que o sistema processa pedidos tão rápido quanto os recebe, com latência ultra-baixa", explica Doug Burger, engenheiro da Microsoft. 

Inteligência artificial em tempo real, tem se tornado cada vez mais importante a medida que infraestruturas de cloud processam transmissões de dados ao vivo, sejam eles para operações de buscas, sensores ou interações com usuários. 

A companhia informou que está usando o Brainwave através de todos os FPGAs instalados em seus data centers, algo que permitirá que os serviços da Microsoft suportem de forma mais rápida recursos em IA. Além disso, a gigante de Redmond informou que trabalha para disponibilizar o Brainwave para clientes terceirizados através da plataforma de nuvem Azure, entretanto, não definiu um prazo para este lançamento.