Negócios > Estratégia, Robótica

Microsoft abre o código fonte de plataforma de inteligência artificial

AIX permite que pesquisadores testem seus projetos de inteligência artificial dentro do ambiente do jogo Minecraft

14 de Março de 2016 - 15h29

A Microsoft tornará aberta sua plataforma usada por pesquisadores internos testarem projetos de inteligência artificial.

A chamada plataforma AIX, que já é usada pela divisão Microsoft Research e disponível em versão beta para alguns acadêmicos, permite que pesquisadores testem seus projetos de inteligência artificial dentro do ambiente do jogo Minecraft.

A grande novidade é que a AIX também ficará disponível no segundo semestre sob licença open-source, uma forma da Microsoft acelerar o desenvolvimento da inteligência artificial quando centenas de pesquisadores mundo afora poderão tornar a AIX melhor com seus próprios códigos.

Usar jogos para evoluir a inteligência artificial não é novidade. O AlphaGo, desenvolvido pelo supercomputador DeepMind do Google, conseguiu três de cinco partidas do jogo milenar Go, perdendo a última para o jogador Lee Se-dol, neste último domingo em Seoul.

Entretanto, a Microsoft diz que está focada em projetos que envolvam inteligência artificial de forma geral, a qual diz ser “mais similar a forma complexa que humanos aprendem e tomam decisões”.

Atualmente, computadores conseguem fazer tarefas específicas e complexas como entender discursos e traduzi-los, reconhecer imagens e escrever legendas sobre as mesmas, destaca Allison Linn, da Microsoft em post no blog da própria companhia.

“Um algoritmo de computador pode realizar uma tarefa da mesma forma ou até mesmo melhor que um adulto médio, mas não consegue competir com uma criança que recebe todo tipo de nova informação, como toque, sons, cheiros, reações a desconforto – e aprende que se chorar há boas chances de que a mãe o alimentará”, escreveu Linn.

Pesquisadores estão tentando ensinar um robô real a escalar uma montanha, mas toda vez que o robô cair em um rio, eles são obrigados a repará-lo ou mesmo substituí-lo. Cinco cientistas de computação do laboratório da Microsoft Research em Nova York estão fazendo o mesmo só que de uma forma bem mais econômica – tentando ensinar a um personagem do Minecraft a escalar uma montanha. Vale lembrar que a Microsoft adquiriu em 2014 a Mojang, desenvolvedora original do Minecraft por US$ 2,5 bilhões.

A plataforma AIX, desenvolvida pelo laboratório da companhia em Cambridge, Reino Unido, consiste em uma versão Java e código que ajuda agentes de inteligência artificial a “sentirem” e atuarem dentro do ambiente do Minecraft, de acordo com Linn. Ambos componentes rodam no Windows, Linux e Mac, e pesquisadores podem usar qualquer linguagem de programação para programarem seus agentes.