Tecnologia

México adota tecnologia de biometria para controle de imigração

Novos quiosques agilizam o procedimento dos passageiros e aumentam segurança nacional

13 de Abril de 2018 - 17h31

O Governo Federal do México está apostando em tecnologias de biometria para fortalecer o controle de fronteiras, automatizando o processo de entrada no País.

O Governo introduziu quiosques automatizados de Controle de Fronteira da empresa SITA para capturar impressões digitais dos passageiros em aeroportos, verificar suas identidades e melhorar a segurança nacional. Os sistemas estão sendo instalados em três aeroportos, situados na Cidade do México, Cancún e Los Cabos.

Enrique De la Madrid, Secretário Geral da SECTUR, do Ministério do Turismo do México, comenta que, como o número de visitantes nos aeroportos internacionais cresceu, a necessidade de agentes de migração também aumentou. Mas nós temos a tecnologia para nos ajudar a superar esse desafio. Essa automação vai garantir a segurança e facilitar a chegada de visitantes ao nosso país", disse.

Gerardo Ruiz Esparza, Secretário Geral do SCT, Ministério de Comunicação e Transportes do México, diz que a instalação desses quiosques representa outro exemplo da implementação de tecnologia de ponta no México, visando preservar a segurança das pessoas e seus bens, assim como facilitar as atividades relacionadas à aviação. "Automatizar a entrada de passageiros nacionais e internacionais, que não necessitam de visto, é possível por meio da captura dos dados de biometria (impressão digital, fotografias e digitalização do passaporte), que quadruplicam a capacidade de atenção de cada agente de migração em relação aos passageiros."

Próximos passos

Inicialmente, os quiosques de controle de fronteira automatizados da SITA serão usados para identificar passageiros com segurança, conforme eles entrarem no país. Com o tempo, eles facilitarão o processo completo de admissão para cidadãos mexicanos e aqueles não-cidadãos, que não necessitam de visto para entrar no país. Os passageiros que chegarem usarão os quiosques para fornecer informações padrão de viagem às autoridades, colocarão as mãos para digitalizar impressões digitais e, em seguida, uma vez que sua identidade for verificada no banco de dados do INM (Instituto Nacional de Imigração), eles receberão todas as informações necessárias para entrar no país.