Big Data > Analytics

Mercado brasileiro de big data e analytics fatura US$ 1,16 bi e já representa quase 50% da AL

Mercado latino americano de big data e analytics responde hoje por 5,1% do mercado global e deve triplicar até 2022, impulsionado por soluções de análise em tempo real, aponta Frost & Sullivan

21 de Março de 2017 - 11h39

O mercado total de big data e analytics (BDA) movimentou US$ 2,48 bilhões na América Latina no ano passado. Liderado pelo Brasil e México e impulsionado pela transformação digital, o mercado deverá atingir US$ 7,41 bilhões em 2022, de acordo com projeção da.

Segundo relatório da consultoria, em 2016, o Brasil é o país mais maduro em aplicações de big data e analytics e representou 46,8% do mercado na América Latina, gerando receita de US$ 1,16 bilhão. Além disso o estudo aponta a IBM, Oracle, SAP, SAS e Teradata como líderes de mercado, sendo que as verticais que mais investem em big data e analytics são serviços financeiros, varejo e telecomunicações. O mercado latino americano representa aproximadamente 5,1% do mercado global de BDA.

A Frost & Sullivan avalia que modelos de negócios inovadores como Internet das Coisas (IoT) e computação em nuvem estão transformando o mercado e criando novas formas de coletar e melhorar os processos de armazenamento de dados. Além disso, diz que as empresas da região estão cada vez mais familiarizadas com os conceitos e benefícios da adoção de soluções de big data e analytics.

“O crescimento exponencial de dados movidos por dispositivos conectados obrigou as organizações a aprimorarem sua capacidade de usar big data para tomar decisões mais inteligentes e em tempo real. Considerando o ambiente de negócios hipercompetitivo, essa necessidade crítica deu origem a uma nova geração de soluções analíticas focadas na previsão, visualização de dados e tomada de decisão dinâmica", disse Renato Pasquini, diretor de consultoria e pesquisas de transformação digital da Frost & Sullivan.

Apesar desse crescimento, o relatório observa que a mão de obra especializada e integração de soluções seguras de big data e analytics à infraestrutura legada continuam sendo desafios. De todo modo, a consultoria diz que as empresas estão percebendo que precisam investir em soluções BDA e encontrar soluções inovadoras para superar esses desafios, a fim de se manterem competitivas em um mercado cada vez mais dinâmico. Melhorar a experiência do cliente tem sido a principal razão para investir em soluções BDA.

“O Hadoop está se tornando o padrão para a maioria dos projetos de big data. Isto se deve as suas características disruptivas, como open source, livre, escalável, baixo custo e tolerância a falhas. Uma vez que a nuvem e o Hadoop são compatíveis, faria sentido utilizá-los juntos, já que ambos se concentram na confiabilidade e escalabilidade a um preço razoável, o que é essencial para as soluções BDA", observou Pasquini.