| Saiba mais  Patrocinado por

A melhor experiência virtual no mundo real

NEC promove experiência de “realidade real” com o uso de sistema biométrico de reconhecimento facial

03 de Outubro de 2017 - 10h00

Imagine a seguinte cena: ao chegar ao aeroporto para pegar seu voo, em vez de se dirigir ao balcão da companhia aérea para fazer o check-in, você terá à disposição totens interativos de autoatendimento instalados no saguão do terminal ou nas salas VIP que farão o reconhecimento facial e, automaticamente, darão acesso aos portões de embarque.

E mais: após o reconhecimento facial, você pode visualizar na tela informações sobre a posição atualizada do seu portão de embarque, companhia aérea, o seu programa de milhagem e sobre o próprio aeroporto, entre outras, a qualquer momento. Ou, então, receber na tela ofertas de produtos de uma loja virtual, do estilo freeshop, por meio de anúncios publicitários direcionados, de acordo com seu perfil e histórico de digital de pesquisas e compras, preferências e necessidades de viagem, de maneira tornar sua experiência de compra mais ágil e personalizada.

O melhor é que para usufruir de toda essa comodidade e segurança, o cliente terá apenas que fazer um cadastro da biometria facial, bastando baixar e abrir um aplicativo no smartphone ou tablet. Com os dados e a foto inseridos no sistema, o passageiro terá todas essas facilidades ao seu alcance.

A tecnologia biométrica de reconhecimento facial, com recursos de inteligência artificial (IA), tem sido usada em uma ampla variedade de aplicações, e uma mostra de como ela se tornará onipresente no cotidiano das pessoas poderá ser vista no estande da NEC no Futurecom 2017, o mais importante evento de Telecomunicações, TI e Internet na América Latina, que teve início nesta segunda-feira, 2, em São Paulo.

A empresa montou um ambiente interativo para demonstrar como a experiência virtual do consumidor pode se traduzir em benefícios no mundo real, e trazer ganhos também para os varejistas. O espaço, além do terminal PDV touchscreen de reconhecimento facial, com câmera de vídeo acoplada, terá a loja física que integra a experiência de compra online do passageiro, denominada SportCenter, além de um sistema de sinalização digital para informação ou exibição de publicidade dirigida.

O visitante poderá simular desde o check-in até o processo de compra de um produto. Além do pagamento de forma rápida e segura, através do reconhecimento facial, ele poderá acompanhar seu pedido em tempo real e ainda decidir se quer retirar o produto na loja física do SportCenter ou que seja entregue diretamente em sua residência ou outro endereço. Para o varejista, o principal benefício é a assertividade da venda, já que terá todos os dados sobre o perfil e hábitos de consumo do passageiro, utilizando a ferramenta inclusive como um diferencial para fomentar negócios.

A plataforma de reconhecimento facial da NEC funciona também integrada aos sistemas de segurança de aeroportos. Com algoritmo próprio, ela garante precisão no reconhecimento facial individual em menos de um segundo. Isso traz maior agilidade no atendimento ao viajante porque as ações dos agentes dos órgãos de segurança passam a ser feitas preferencialmente sobre passageiros que apresentem risco potencial de estarem praticando irregularidades aduaneiras e outras infrações.

Alguns aeroportos, como o de Dulles, em Washington, DC, já estão testando a solução da NEC. O Custom and Border Protection (CBP), o departamento de imigração dos Estados Unidos, está utilizando o sistema biométrico de reconhecimento facial para verificar a identidade dos viajantes que saem do país.

O projeto piloto no aeroporto em Washington segue um outro anterior realizado pelo CBP no Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson, em Atlanta, para implementar o programa de saída biométrica do governo federal dos Estados Unidos. 

O sistema de reconhecimento facial da NEC já está presente também nos 14 aeroportos internacionais brasileiros desde o ano passado, operado pela Receita Federal, sendo a primeira e maior referência de integração de sistemas biométricos em processo aduaneiro no mundo.

“Nesta demonstração, o sistema de reconhecimento facial vai trazer mais agilidade no atendimento ao viajante porque permite que se faça a seleção para uma fiscalização mais aprofundada, sem interferir no fluxo dos demais passageiros”, explica o diretor de Soluções e Engenharia da NEC Latin America, Wagner Coppede. “Ele também aumenta a inteligência por proporcionar uma visão integrada do passageiro, seja para auxiliar na segurança, seja para tornar o tempo de espera do voo mais agradável ou para que os varejistas possam explorar de forma mais eficaz seu espaço físico e virtual e gerar receitas adicionais. Esses são exemplos reais do impacto da transformação digital na experiência do cliente”, finaliza.