Segurança > Cibercrime

Mastercard adquire empresa de segurança online NuData Security

Empresa fornece soluções contra fraudes online e via mobile, baseadas em indicadores biométricos e de sessão. Os termos financeiros do negócio não foram revelados

02 de Abril de 2017 - 22h53

A Mastercard assinou acordo para aquisição da NuData Security, empresa de tecnologia com presença global que fornece soluções contra fraudes online e via mobile, baseadas em indicadores biométricos e de sessão. Os termos financeiros do negócio não foram revelados.

Em comunicado, a Mastercard diz que a compra da empresa é parte de seu compromisso de aumentar a proteção no mundo digital. Para tal, ela adianta que vai integrar a NuData à sua carteira de produtos de gestão e segurança contra fraudes. A aquisição, ainda segundo a empresa, também reforçará seus esforços em torno da segurança e autenticação no próprio dispositivo, permitindo uma colaboração quase que em tempo real entre emissores, estabelecimentos comerciais e processadores.

Na nota, a Mastercard observa que a Internet das Coisas vem criando um mundo mais conectado e voltado às tecnologias digitais, e estimativas indicam que, em todo o mundo, 50 bilhões de dispositivos inteligentes estarão em uso até 2020. “Embora essa conectividade possa oferecer aos consumidores a conveniência dos pagamentos digitais quando e como quiserem, a segurança de todas as transações é um fator essencial”, destaca o texto.

"Garantir a segurança de todos os pagamentos hoje e amanhã continua sendo uma prioridade para a Mastercard", disse Ajay Bhalla, presidente de risco e segurança empresarial da Mastercard. "A NuData agregará à nossa estratégia de segurança em camadas para proteger cada transação em todo o mundo. A combinação de informações de sessão e biométricas trará um contexto ainda mais rico sobre potenciais ameaças cibernéticas e específicas aos dispositivos, gerando ainda mais tranquilidade e confiança."

O carro-chefe da NuData é NuDetect, que identifica usuários autênticos de possíveis fraudadores com base em suas interações online, em aplicativos e pelo celular, sinalizando os que representam maior risco. A tecnologia avalia, pontua e aprende com cada transação online ou móvel, assim os estabelecimentos comerciais e os emissores podem autorizar transações quase que em tempo real.