Negócios > Fusões e Aquisições

Mandic Cloud anuncia aquisição da Rivendel e já mira IPO

Empresa reforça seu portfólio de serviços e projeta mais de 30% de crescimento orgânico em 2018

20 de Fevereiro de 2018 - 14h49

A Mandic Cloud dá mais um passo em sua estratégia de crescimento inorgânico. A empresa anunciou a aquisição da Rivendel, companhia especializada em transformação digital, cloud & DevOps e data analytics. Com a compra de 100% do capital social da Rivendel, a Mandic reforça seu portfólio de serviços e projeta mais de 30% de crescimento orgânico em 2018.

Com o acordo, a Rivendel passa a ser uma unidade da Mandic Cloud, aprimorando os serviços de gerenciamento em nuvem pública e de data analytics. A empresa brasileira conta com ampla presença na comunidade cloud e soma mais de 100 clientes que vão desde grandes corporações – como Microsoft, Nextel, CVC, Natura e Ajinomoto - a startups que já nasceram na nova economia, como as Nubank, Moip, Creditas e Guia Bolso. A empresa é parceira das principais plataformas de cloud pública do mundo: Amazon Web Services (AWS) e Microsoft Azure, além de atuar em ambientes de nuvem privada e híbrida.

Agora, Mandic Cloud passa a atender mais de 1 mil clientes corporativos com serviços gerenciados em clouds Openstack, Vmware, AWS, Azure e Google Cloud, ampliando a entrega de tecnologia sob demanda para empresas. Além de infraestrutura, backup e storage, disaster recovery, e-mail e colaboração na nuvem, o investimento da Mandic Cloud com a Rivendel intensifica a entrega dos benefícios e vantagens que a nuvem corporativa proporciona às empresas no Brasil, suportadas por um Cloud Management Platform – CMP, equipes multidisciplinares formadas, ao todo, por mais de 250 especialistas.

A Rivendel manterá suas atividades na sede, localizada na cidade de São Paulo e nos demais polos de DevOps, localizados em Maringá (PR) e em Fortaleza (CE). 

IPO 

Maurício Cascão, CEO da Mandic Cloud, destaca que a aquisição consolida a posição da Mandic Cloud como a maior empresa brasileira de cloud corporativo e, com este crescimento acelerado, o executivo não descarta a possibilidade de um IPO (Oferta Pública Inicial) nos próximos anos.