Gestão > ERP

Maioria dos usuários SAP pretende continuar com versão atual de ERP

Pesquisa com usuários aponta como motivo para continuarem com a versão do sistema de gestão empresarial que já utilizam os custos entre US$ 10 milhões e US$ 100 milhões para reimplementar o S/4HANA

26 de Julho de 2017 - 16h00

A maioria dos usuários de ERP da SAP (89%) pretende continuar com as versões de sistemas que já utilizam, de acordo com uma pesquisa global realizada pela Rimini Street, fornecedora de serviços de suporte a sistemas de gestão empresarial para Oracle e SAP. Entre os motivos apontados por eles estão a riqueza das funcionalidades oferecidas pelas versões atuais, o fato de atenderem às necessidades da empresa e o uso dessas versões como alicerce de um modelo ideal de ambiente de TI híbrido.

Ainda de acordo com o levantamento, 65% dos participantes da pesquisa não têm planos ou ainda não estão pensando em migrar para o S/4HANA, destacando como principal motivo para isso “o incerto retorno sobre o investimento e a falta de um case convincente de negócios”.

Além de citarem “o incerto retorno sobre o investimento e a falta de um case convincente de negócios” por conta do baixo compromisso com o S/4HANA, outro importante motivo mencionado pelos entrevistados foi o alto custo de migração e reimplementação. Entre os que responderam que planejam fazer a atualização, 56% estimaram que o custo total da reimplementação para mudar para o S/4HANA ficaria entre US$ 10 milhões e US$ 100 milhões, um investimento caro que dificulta o surgimento de um case de negócios positivo e que está financeiramente distante para muitas empresas.

O levantamento constatou também que 47% das empresas consideram que os custos de suporte e manutenção da SAP são muito altos. Aproximadamente metade dos entrevistados considera os custos com suporte e manutenção da SAP muito elevados, incluindo os que disseram que os valores estão “fora de controle”.  Os entrevistados citaram três pontos como problemáticos no suporte da SAP, com base em uma pergunta da pesquisa que permitia múltiplas respostas: “demora para resolver os problemas” (36%), “falta de suporte para as customizações” (33%) e “falta de experiência ou conhecimento adequado para resolver os problemas” (29%).

TI híbrida otimiza o valor do ERP

Entre os entrevistados que pretendem continuar com o atual SAP Business Suite, 30% já estão adotando uma estratégia de ambiente de TI híbrido para maximizar o valor do seu SAP central como um sistema de arquivamento, ao mesmo tempo em que liberam fundos e recursos que podem ser usados de forma mais rápida e flexível para impulsionar a inovação por meio de sistemas de engajamento.

Os executivos das empresas que já estão adotando a estratégia de TI híbrida entendem que este ambiente oferece o melhor dos dois mundos — capacidade de gerenciar de forma confiável o negócio em uma aplicação robusta de ERP, ao mesmo tempo em que permite que a empresa adote sistemas e serviços inovadores com mais rapidez, incluindo cloud, mobilidade e analytics.

Um número crescente de companhias está executando suas implementações de ERP SAP em seus ambientes hospedados ou em nuvem privada, aproveitando os muitos benefícios do modelo em cloud, sem necessidade de um processo de reimplementação caro e arriscado, aponta o relatório.

“Quando converso com clientes SAP, uma das estratégias mais comuns que eles mencionam para manter seu ERP atual e ainda conseguir inovar é adotar uma abordagem de ambiente de TI híbrido”, afirma Vinnie Mirchandani, CEO da Deal Architect e autor da série de livros SAP Nation. “O SAP Business Suite é bastante robusto e repleto de recursos, mas a habilidade da SAP para inovar com sucesso fora do núcleo do ERP não se manteve, por isso, faz sentido se apressar. É preferível ficar com a versão já estabelecida e continuar inovando ‘pelas bordas’ com várias soluções modernas que são disponibilizadas hoje no mercado por algumas empresas bastante ágeis.”

O relatório, intitulado “Rimini Street Survey: 2017 SAP Applications Strategy Findings”, baseia-se em respostas de CIOs, CTOs, vice-presidentes, diretores e gerentes de TI de uma ampla variedade de setores e empresas de diferentes tamanhos da América do Norte, Europa, América Latina e Ásia Pacífico. O objetivo foi entender melhor as táticas de aplicações e planos futuros dos licenciados SAP.