Tecnologias Emergentes > Inovação

Lean digital é a melhor forma de conduzir a transformação da TI, dizem especialistas

Encontro com C-Levels mostra que o lean digital tem sido um vetor importante, para ajudar grandes empresas a superar os desafios da transformação digital

31 de Agosto de 2017 - 12h34

A adoção de “digital first” é prioridade para a estratégia de negócios de 42% dos executivos líderes de empresas, de acordo com pesquisa recente do Gartner com CEOs. Para a Ci&T, fornecedora brasileira de serviços de TI e soluções digitais, o conceito lean digital é a melhor forma de conduzir essas transformações tecnológicas necessárias para atender às mudanças nas jornadas dos consumidores, que têm impactado negócios em todos os setores — de serviços, agricultura e indústria.

Para debater e mostrar os resultados obtidos com a transformação lean digital, aCi&T recebeu C-Levels de diversas indústrias no Prisma, sua sede em Campinas, no interior de São Paulo. O encontro ocorreu em agosto, quando a multinacional brasileira lançou um e-book sobre seu aprendizado de mais de uma década na adoção do lean, que a tornou ainda mais ágil e reforçou sua cultura voltada à inovação. Na ocasião, os participantes tiveram acesso às salas de conteúdos com especialistas em cultura, pessoas, processos, design, analytics, tecnologias disruptivas e IoT (Internet das Coisas).

O lean sempre foi uma referência para a gestão de processos de manufatura. No entanto, a metodologia é mais do que um método científico que resulta na redução de desperdícios de produção ou, simplesmente, num trabalho feito por equipes enxutas. "O lean digital é uma tradução inédita do pensamento Lean para o contexto digital, turbinado por design e tendo como ponto de chegada a criação de uma cultura voltada para o aprendizado", apontou o fundador e CEO da Ci&T, Cesar Gon.

Leonardo Mattiazzi, vice-presidente global de inovação da Ci&T, destacou que o lean digital não é um simples guia, mas uma estratégia que baseia-se na criação de hipóteses e testes, com ciclos rápidos de interação e aprendizado, e a consistência de hábitos de trabalho, gestão e liderança para atingir velocidade em escala. "O lean é uma forma de olhar o processo, nos dizendo como aprendê-lo e depois aplicar correções e melhorias. Para que aconteça uma entrega consistente, porém, é imprescindível que o lean faça parte da cultura da corporação, abrangendo todo o ciclo de geração de valor da empresa, desde a criação da demanda do cliente ou consumidor até a priorização de atividades de negócio", completou.

"Com o lean, cada membro da organização aprende a olhar o fluxo completo para identificar eventuais problemas e encontrar rapidamente as soluções, colaborativamente com seus colegas de trabalho. Assim, é possível eliminar ineficiências e implantar ciclos de melhorias contínuas que elevam a qualidade dos processos. Essa disciplina somada com ritos frequentes de PDCA (plan, do, check and adjust), é que promoverá um fluxo efetivo e consistente de tarefas dentro das organizações. A transformação das empresas passa por mudanças de hábitos, mudanças culturais", enfatizou Mattiazzi.

O vice-presidente da América Latina da Ci&T, Mauro Oliveira, ressaltou que a empresa deve estar disposta a ingressar em um novo patamar se quiser seguir uma jornada digital e não, simplesmente, digitalizar seus processos. "O pensamento lean é a resposta de como as corporações podem promover de vez essa transformação, mudando de maneira consistente sua cultura e seus processos, enquanto geram rapidamente mais valor para seus clientes", destacou.