Tecnologias Emergentes > Internet das Coisas

Kellogg reduz o consumo de energia em US$ 3,3 milhões ao ano com IoT

Empresa usa o os dados operacionais em tempo real para monitorar energia e ajudar na tomada de decisões

04 de Setembro de 2017 - 16h59

A gigante americana Kellogg — mais conhecida por seu cereal matinal Sucrilhos — está usando a Internet das Coisas para reduzir o consumo de energia. O projeto começou em 2005, quando foram definidas as metas de dez anos para o consumo de energia e a Kellogg começou a utilizar os dados operacionais do PI System, da OSIsoft, para atingir seus objetivos. A economia da empresa anualmente é de US$ 3,3 milhões.

No começo do projeto, a proposta era medir os dados em tempo real para ajudar na tomada de decisões. O PI Systems é uma das tecnologias mais usadas para a Internet das Coisas na indústria.

“Foi instalado inclusive um medidor de tensão primária, de gás e de ar, assim como centenas de tags do PI System, que permitiria que a equipe comparasse as próximas metas de energia e medisse progressos e sucessos”, disse John Gothberg, gerente de engenharia e serviços da Kellogg Company. Todo o processo foi feito em sete etapas, permitindo que a Kellogg ganhasse visibilidade em relação às suas seis unidades de ar condicionado, aquecimento e ventilação dentro da fábrica, todos controlados por um sistema de gerenciamento de prédio.

Com os dados gerados pela Internet das Coisas, eles perceberam, por exemplo, que, para impedir que as bobinas congelassem, eles estavam aquecendo o ar apenas para resfriá-lo novamente. Um pouco desse ar estava sendo trazido de fora e não estava vinculado ao sistema de gerenciamento de prédios, apresentando riscos à segurança dos alimentos e quase anulando a pressão do prédio. Eles conseguiram remediar a situação fazendo uma adaptação, o que economizou uma grande quantidade de dinheiro e deixou a empresa mais perto das suas metas de consumo de energia.

Além disso, os dados mostraram uma oportunidade adicional de economizar dinheiro nos custos de energia com bombas que foram instaladas para empurrar a água reciclada por meio das bobinas a fim de impedir que elas congelassem. Ar fresco estava sendo levado a uma unidade de ar condicionado por vez, mas a Kellogg descobriu que se isso fosse feito nas seis unidades simultaneamente, eles poderiam misturar o ar de retorno do prédio e trazer ar renovado o suficiente para não precisar do aquecimento de água. Em apenas uma semana em fevereiro, eles economizaram US$ 40 mil com essa simples mudança.

"Escolhemos o PI System em 2000", disse Gothberg. "E, em todos esses anos, a nossa fábrica tem economizado US$ 3,3 milhões anualmente."