Negócios > Rede, Resultados Financeiros

ISPs e data centers impulsionam crescimento da Furukawa no Brasil

Empresa japonesa cresce 16% e aposta em nova fábrica de conectividade para suprir demanda do mercado

18 de Abril de 2018 - 16h04

A Furukawa Electric LatAm encerrou o ano fiscal de 2017 (fechado em março) com receita líquida de R$ 901 milhões no Brasil, o que representa crescimento de 16% em relação ao ano anterior. O resultado - acima da expectativa traçada pela própria companhia -, segundo Foad Shaikhzadeh, presidente da companhia na América Latina, foi impulsionado principalmente pela alta na demanda de provedores regionais (ISPs) e data centers por soluções de conectividade e fibra óptica.

O executivo comenta que, pela primeira vez na história, as vendas para ISPs superaram as de grandes operadoras. O avanço nas vendas para provedores regionais foi de 37%.

Segundo Shaikhzadeh, apenas a Telefônica investiu em FTTx (rede de acesso baseada em fibra que conecta uma grande quantidade de usuários finais), enquanto a Oi passa por período conturbado de recuperação judicial, a TIM não havia definido sua estratégia e a Claro ainda não tinha intenção de investir em FTTx. A expectativa do executivo é que as grandes retomem o investimento em 2018.

Outro item que impulsionou as vendas para ISPs foi a criação de um canal de e-commerce para o setor. Já são mais de 4,7 mil empresas cadastradas, que, como destaca Shaikhzadeh, "descobriram" que a Furukawa tem mais do que apenas cabos.

Além da retomada de ISPs, o executivo destaca a retomada do mercado de data center. "É um mercado que estava parado há um ano e meio e ganhou volume de novo. Começamos a sentir essa recuperação a partir de setembro", comenta, durante conversa com jornalistas nesta quarta-feira (18/4), na sede da empresa em Curitiba (PR).

Outros dois destaques no mercado de data centers foram projetos com o Banco do Brasil, além da expansão de uma das operações da companhia de interconexão Equinix no País.

Nova fábrica

A alta da demanda por soluções de conectividade para IPSs e data centers motivou a Furukawa a investir na sua fábrica especializada no setor.

A companhia destinou R$ 5 milhões no total para inaugurar uma nova operação da Furukawa Industrial Optoeletrônica - subsidiária da Furukawa Electric LatAm -, ao lado da sede da companhia, na capital paranaense. Deste valor, R$ 3 milhões foram destinados para montagem da infraestrutura e R$ 2 milhões para o centro de distribuição, localizado ao lado.

"Vimos o crescimento da demanda e decidimos por uma operação que possa receber ampliações nos próximos cinco anos", conta.

A nova fábrica, de cerca de 4 mil m², conta com 460 funcionários (sendo 150 novos contratados neste ano) e, na atual concepção, tem espaço para dobrar de tamanho. O fato de ser um prédio alugado faz parte da estratégia da companhia, que pretende "testar" o modelo para decidir por uma ampliação ou para levar novas fábricas para outras cidades.

Segundo Leonardo Silverio, gerente geral de operações de soluções e sistemas, a fábrica opera atualmente com 110% da capacidade, em três turnos e horas extras. O foco é aumentar a produtividade em pelo menos 20% neste ano, o que inclui mais contratações.

O centro de distribuição, por sua vez, visa atender ao crescimento da modalidade de e-commerce da companhia.

Exportações

Além de vendas para operadoras, a Furukawa conta com outros dois "blocos" principais: canais de distribuição e exportação. Os três tiveram crescimento no último ano fiscal.

O último deles cresceu apenas 3%, o que, segundo Shaikhzadeh, é explicado por conta da prioridade por atender primeiro demandas locais.

Atualmente, as exportações representam 25% da receita da companhia e a meta é chegar a 40% até 2021. "Era para começar a acontecer (o crescimento mais acentuado), mas seguramos um pouco."

Investimentos

A projeção de investimentos da companhia para este ano é de R$ 43 milhões, em todas as unidades - além de crescimento de 17% em relação ao ano anterior.

A maior parte - cerca de 70% - será para a nova fábrica. Ainda, cerca de 20% será destinado às operações na Argentina, com expansão da produção de cabos ópticos para redes internas e externas, além de 10% para Colômbia, com foco no aumento da capacidade da fábrica de conectividade.

*O jornalista viajou a Curitiba (PR) a convite da Furukawa