Aplicações > Internet das Coisas, Investimentos, Pesquisas de Mercado

Investimento global de TI nos aeroportos atinge US$ 8,7 bilhões em 2015

Segundo pesquisa da SITA, 64% dos CIOs de aeroportos terão orçamentos maiores em 2016. IoT será usada para melhorar experiência dos passageiros

28 de Dezembro de 2015 - 22h07

Um estudo realizado pela empresa SITA - líder mundial em comunicações de transporte aéreo e soluções de TI - junto a executivos de TI de 223 aerportos globais mostra que o investimento do setor em tecnologia está acelerando e que vai fechar 2015 com crescimento de 6,25% sobre 2014, devendo superar esse percentual em 2016.  

O levantamento Airport IT Trends Survey, realizado pela SITA em parceria com o Airports Council International (ACI), estima investimentos de US$ 8,7 bilhões em projetos e produtos de TI em 2015 para os aeroportos. Em 2016, os números devem superar 2015, já que 64% dos CIOs entrevistados preveem orçamentos ainda maiores para 2016.

O estudo mostra que a prioridade dos investimentos é para melhorar a experiência e a segurança dos passageiros, já que o crescimento do volume de usuários pressiona a capacidade e infraestrutura dos aeroportos.

Cerca de 73% dos CIOs indicaram o processamento de passageiros uma alta prioridade para o investimento em TI. Além disso, 84% dos aeroportos veem a segurança dos passageiros e do aeroporto como uma prioridade para TI.

TI melhora a experiência do viajante

Matthys Serfontein, vice-presidente de Soluções para Aeroportos da SITA, explica que em 2015 a tecnologia foi reconhecida pelos gestores de aeroportos como um elemento que pode melhorar de fato a experiência dos passageiros.

"Os CIOs dos Aeroportos estão revendo seus orçamentos para incluir tecnologias como beacons, serviços móveis e aumento do autosserviço, para facilitar o processo de passageiros, já que os aeroportos de todo o mundo estão cada vez mais cheios", diz Matthys.

Com 81% dos aeroportos investindo em beacons e outros sensores nos próximos três anos, os passageiros podem esperar uma viagem mais previsível, com funcionalidades que informam o tempo de espera e o caminho para os portões. "A Internet das Coisas está chegando aos aeroportos para que eles se comprometam a servir o viajante conectado através de investimento em tecnologia de sensores”, diz Matthys.

A pesquisa mostra que, em 2018, 80% dos aeroportos usarão beacons para fornecer serviços de busca de direções e 74% para fornecer notificações aos passageiros. Mais de metade dos aeroportos terá sensores em uso em vários pontos do percurso, incluindo o check-in, despacho de bagagem, segurança, tempo de permanência e embarque.

Mobilidade em alta

Serviços móveis também estão em ascensão, com 91% dos aeroportos planejando oferecer um aplicativo para navegar no aeroporto e 83% para as notificações em tempo real sobre informações do dia da viagem, tais como tempos de trânsito ou de filas no terminal.

Em 2015, cerca de duas em cada cinco pessoas vão chegar ao aeroporto com o check-in já realizado, mas para aqueles que não tiverem feito, o quiosque é a melhor opção. Hoje, os quiosques de autosserviço estão presentes em nove em cada dez aeroportos, quase universalmente disponíveis, acima dos 75% em 2014.

Além de fornecer mais quiosques de check-in, os aeroportos têm expandido sua funcionalidade. Hoje, 42% dos aeroportos possuem quiosques que podem imprimir etiquetas de bagagem para ajudar os passageiros a identificar suas próprias malas antes de deixá-las em pontos de despacho. Hoje, assistidos ou não, pontos de despacho de bagagem estão disponíveis em cerca de metade dos aeroportos no mundo.

O uso de dispositivos móveis está começando a se firmar entre funcionários do aeroporto e muitos operadores irão utilizá-los para gerar quantidades crescentes de dados relevantes. Em 2018, mais de 60% dos aeroportos terão implementado o acesso móvel a informações irregulares operacionais (IROPS) para seus empregados. Um movimento que apoiará uma capacidade mais ampla de resposta a problemas.

Aeroportos mais inteligentes

Os resultados gerais da pesquisa deste ano indicam que os operadores aeroportuários estão atentos ao desenvolvimento de aeroportos 'inteligentes' ao longo dos próximos três anos. Eles estão usando sensores para conectar as pessoas e as coisas, e estão aproveitando o poder dos dados para tomar melhores e mais rápidas as decisões, por exemplo, utilizando o processo decisório colaborativo (Collaborative Decision Making – CDM).

Hoje, cerca de um terço dos aeroportos implementa algum tipo de CDM local e 34% têm planos para implantar até o final de 2018. A versão mais avançada, conhecido como A-CDM, em que o aeroporto está conectado à gestão regional do tráfego aéreo, companhia aérea e de outros sistemas, também é esperado para ser implantado em 34% dos aeroportos ao longo dos próximos três anos.

A SITA é líder mundial em comunicações de transporte aéreo e soluções de TI, presente em mais de 400 aeroportos em todo o mundo e com 2.800 clientes em mais de 200 países.