Internet > Internet das Coisas

Inmetro autoriza CPqD a realizar testes de conformidade com o IPv6

Desde 1º de janeiro, esses testes passaram a ser obrigatórios para determinados equipamentos de telecom homologados pela Anatel

14 de Janeiro de 2016 - 11h11

O laboratório para tecnologias móveis do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) recebeu aval da Coordenação Geral de Acreditação (Cgcre) do Inmetro para realizar esses testes de conformidade com o protocolo IPv6. Desde o dia 1º de janeiro, alguns testes de conformidade com a nova versão do Protocolo Internet passaram a ser obrigatórios para determinados equipamentos de telecomunicações que necessitam da homologação da Anatel para serem vendidos no Brasil.

Os requisitos definidos pela Anatel para a certificação dos terminais móveis, em relação ao suporte ao IPv6, obedecem às normas do 3GPP (3rd Generation Partnership Project), organização responsável pela padronização de sistemas de comunicação móvel celular no mundo. “Basicamente, os testes avaliam as funcionalidades e a adequação dos terminais a esse novo cenário dos serviços”, resume o engenheiro Rafael Parada, do CPqD.

É preciso que não só os equipamentos de rede, mas também os terminais, ofereçam suporte ao IPv6, de modo que os usuários possam acessar os serviços e conteúdos disponíveis nesse novo protocolo.

A transição para o IPv6 é hoje uma realidade no mundo, e também no Brasil, diante do esgotamento dos endereços na internet. No Brasil, os indicadores sobre o tráfego internet mostram que a adoção deu um saldo em 2015. A porcentagem de endereços IPv6 saltou de praticamente zero para pouco mais de 7% em 2015. E mais de 85% dos detentores de sistemas autônomos (ANS) possuem alocação IPv6.

No mundo, segundo a Akamai, a Bélgica lidera a adoção do IPv6, com 38% de suas conexões feitas por meio do protocolo. Os dois únicos países não europeus entre os Top 10 de adoção foram os EUA e Peru, com 19% e 17%, respectivamente.