Negócios > Manufatura

IFS adquire fornecedora de software para aviação Mxi Technologies

A Mxi atende empresas terceirizadas de manutenção, reparos e revisão (MRO) e empresas de manufatura de equipamentos

16 de Dezembro de 2016 - 13h04

A fabricante de software de gestão empresarial IFS assinou acordo para adquirir a Mxi Technologies, fornecedora de software de gestão de manutenção integrada para a indústria de aviação. O valor do negócio não foi revelado.

A Mxi atende o setor de defesa e operadoras de voos comerciais, empresas terceirizadas de manutenção, reparos e revisão (MRO) e empresas de manufatura de equipamentos (OEMs), com software, suporte e serviços. Com sede em Ottawa, Canada, é uma organização global com mais 265 funcionários. 

O carro-chefe da Mxi é a suíte Maintenix, projetada exclusivamente para que empresas de aviação possam maximizar o potencial de receitas de seus ativos de aviação, através de uma manutenção padrão, lean e preditiva. Ele atende desde organizações emergentes e de médio porte a grandes empresas de aviação do mundo. A carteira de clientes da empresa inclui a Southwest Airlines, Air France, KLM, Qantas, China Airlines, LATAM, Icelandair, NetJets, Boeing, BAE Systems, Saab, Pratt & Whitney e algumas forças aéreas pelo mundo.

Em comunicado, o presidente e CEO da IFS, Alastair Sorbie, disse que, com a aquisição da Mxi, a companhia se torna uma fornecedora líder de software de manutenção para operadores de aviação no setor comercial e de defesa, MRO’s e OEMs. “Vamos continuar a investir e comercializar o Maintenix e o IFS Applications para clientes que querem uma solução pontual, mas nós também acreditamos que uma solução integrada de ponta a ponta será atraente para muitas empresas neste setor.”

Segundo o executivo, a aquisição está alinhada com a estratégia de crescimento da IFS e a ambição de se tornar uma empresa líder no fornecimento de softwares de gestão empresarial para clientes globais nos segmentos de gerenciamento de ativos, de serviço e de produtos.

A previsão é que a compra seja concluída no primeiro trimestre de 2017, após a aprovação dos acionistas e do aval dos órgãos reguladores.