Tecnologia > Internet das Coisas, Programação

Hypes, tendências e conceitos que programadores precisam dominar

Executivos do Bitly, Alpha Modus e Topcoder listam quatro pontos que precisam estar no radar dos desenvolvedores de software

23 de Fevereiro de 2016 - 10h32

O segmento de tecnologia é constantemente inundado por novos termos e tendências. Em meio a tanto barulho, às vezes, fica até difícil saber quais pontos devem ser priorizados e quais podem, simplesmente, ser deixados de lado nessa corrida rumo ao futuro. 

Um painel realizado durante o InterConnect 2016, evento da IBM para clientes e parceiros que acontece essa semana em Las Vegas (EUA), abordou justamente os desafios e oportunidades da codificação de ferramentas tecnológicas.

Na ocasião, Sandy Carter, gerente responsável pelo ecossistema de desenvolvedores e startups da gigante de TI, desafiou três executivos (Rob Platzer, CTO do Bitly; Prashant Bhuyan, cofundador da Alpha Modus; e Brendan Wright, líder de canais da Topcoder) a listarem hypes e tendências que influenciam o atual momento da programação.

Veja a seguir os quatro pontos que, segundo eles, precisam estar no foco dos desenvolvedores.

Microsserviços. As arquiteturas de microsserviço permitem criar aplicativos em nuvem mais resilientes e escaláveis. O conceito considera que aplicativos são particionados em vários serviços que se comunicam conforme necessário usando APIs bem definidas.

IoT. Os objetos do mundo ao nosso redor, aos poucos, começam a gerar dados e conversar entre si. A expectativa é que bilhões de aparelhos estejam conectados à internet nos próximos anos. Apesar de ser um segmento que ainda precisa amadurecer, já afeta o contexto de programação. A certeza é que IoT trará um impacto cada vez maior sobre habilidades e rotinas dos desenvolvedores.

Inteligência artificial. Aprendizado de máquina e inteligência artificial são elementos que, certamente, vão revolucionar muitos setores. Em um mundo de dispositivos conectados, e onde o volume de dados cresce exponencialmente, será importante entender com criar algoritmos que transformarão esse ambiente em inteligência.

UX. A consumerização da tecnologia massificou os dispositivos computacionais. Hoje, é possível afirmar que um bom software é aquele que consegue ser simples de usar e agrada aos usuários para entregar as funcionalidades que se propõem. A experiência de uso se torna um elemento cada vez mais importante na criação de sistemas.

*O jornalista participa do InterConnect, nos Estados Unidos, a convite da IBM.