Tecnologia > Estratégia

Huawei dá ênfase a projetos de transformação digital na CeBIT 2017

Companhia marca presença no evento com projetos em parceria nas áreas de administração econômica e pública, sociedade digital e transformação digital

21 de Março de 2017 - 10h39

A Huawei participa nesta semana da CeBIT 2017, principal feira de tecnologia do mundo, na cidade alemã de Hanover, com mais de 100 parceiros de negócios com objetivo de promover a transformação digital. A fabricante chinesa de equipamentos de infraestrutura de redes se alinhou ao tema "d!conomy - sem limites" ("d!conomy - no limits") da CeBIT e focou sua participação no fornecimento de orientação aos tomadores de decisões sobre administração econômica e pública, sociedade digital e transformação digital. Na exposição, a empresa apresentou sua estratégia "Plataforma + Ecossistema".

O presidente da Huawei Enterprise Business Group, Yan Lida, disse que o posicionamento empresarial da companhia tem como foco ser a melhor parceira no esforço para capacitar a sociedade digital, o desenvolvimento social inteligente e a transformação digital do setor. "Propomos a estratégia 'plataforma + ecossistema', que se baseia em grandes investimentos em novas tecnologias, tais como computação em nuvem, Internet das Coisas, big data, banda larga móvel e SDN, para criar uma plataforma de infraestrutura de TIC aberta, flexível, segura e ágil."

A Huawei também aproveita a participação no CeBIT para lançar o programa OpenLab (laboratório aberto) global, para promover a implementação da estratégia "Plataforma + Ecossistema". Esse programa vai reunir importantes parceiras empresariais com o objetivo de desenvolver recursos para criar soluções específicas para o setor, fornecendo os elementos fundamentais de um ecossistema de TIC que potencializa o futuro da sociedade inteligente. Ela planeja estabelecer outros 15 OpenLabs nos próximos três anos, com um investimento total de US$ 200 milhões. A meta da Huawei é ter um total de 20 OpenLabs no mundo até o fim de 2019.

Além disso, a companhia chinesa procura marcar sua presença no evento com anúncios conjuntos de grandes parcerias e compartilhamento de métodos e práticas de transformação digital. Na arena da cidades inteligentes (smart cities), por exemplo, a Huawei e a Veolia estão demonstrando a solução de administração de águas pluviais e enchentes (Storm Water and Flood Management Solution), baseada na tecnologia NarrowBand IoT (NB-IoT) para estabelecer cientificamente medidas de emergência. Ela também enfatizou a parceria com a Frequentis, com qual está desenvolvendo um ecossistema aberto para soluções de segurança pública, para tornar as cidades mais seguras. Outra parceria é com a Honeywell. As duas empresas estão lançando juntas uma solução de prédio inteligente que possibilita a administração inteligente de prédios e reduz o consumo de energia.

No setor financeiro, a Accenture vai compartilhar uma solução de big data financeira, baseada na plataforma de big data da Huawei. A Huawei também seu uniu a Infosys para lançarem conjuntamente a solução Finacle@Kunlun, para ajudar os bancos a reconstruir suas infraestruturas de TI e aplicações de camada superior.

Há ainda uma grande parceria é no setor de energia. A Huawei está trabalhando com a SAP para lançar uma solução de infraestrutura de medição avançada (AMI -- Advanced Metering Infrastructure). Com esforços conjuntos com a State Grid Tianjin Electric Power Company, a Huawei está apresentando uma solução de rede elétrica dedicada wireless para ajudar as companhias de eletricidade a implementar a distribuição automática de energia e a medição inteligente.

A Huawei adiantou que vai continuar a desenvolver um ecossistema sustentável e investir em alianças setoriais e comerciais, na comunidade open source e em plataformas para desenvolvedores.