Telecom > Wireless

GSMA quer apoio de governos a plano global de espectro para 5G

Associação quer que os governos se comprometam a disponibilizar espectro suficiente para permitir velocidades mais altas com a tecnologia

02 de Fevereiro de 2017 - 11h13

A GSMA, associação internacional que reúne as operadoras de telefonia móvel, quer que governos e autoridades reguladoras em todo o mundo se comprometam a apoiar a implantação da tecnologia 5G, antes da Conferência Mundial de Radiocomunicações (WRC-19), que acontecerá em 2019. Segundo a entidade, a tecnologia 5G pode criar uma sociedade "hiperconectada" e atender as necessidades de um conjunto diversificado de conexões, que engloba desde máquinas industriais em fábricas até veículos automatizados, bem como um crescimento rápido em serviços como o sistema de vídeo on-demand.

"Embora a indústria móvel, as instituições acadêmicas e as normas internacionais estejam desenvolvendo tecnologias fundamentais para 5G, o sucesso dependerá, em grande parte, de preços convenientes de acesso à quantidade de espectro necessária", disse John Giusti, diretor de regulamentação (CRO) da GSMA. "É essencial que se disponha espectro móvel novo suficiente, e que as operadoras possam reutilizar o espectro existente para 5G quando necessário. Os governos têm um papel central na proposta da WRC-19, de identificar o espectro harmonizado para 5G e incentivar o investimento necessário em redes. "

Os serviços 5G ultrarrápidos exigem tamanha quantidade de espectro, que os governos e as entidades reguladoras já contemplam o uso de frequências significativamente mais altas do que as tradicionalmente utilizadas nos serviços móveis. Embora esse trabalho seja essencial, a GSMA destacou que se deve identificar espectro móvel rapidamente em três faixas de frequências-chave, incluindo bandas de baixa frequência tradicionais para fornecer uma ampla cobertura e apoiar todos os casos de uso.

Veja, a seguir, os três intervalos propostos pela GSMA — Sub-1 GHz, 1-6 GHz e acima de 6 GHz:

· Sub-1 GHz apoiará uma ampla cobertura em áreas urbanas, suburbanas e rurais, e ajudará a respaldar os serviços de Internet das Coisas (IoT).

· A faixa de 1-6 GHz oferece uma boa combinação de benefícios de cobertura e capacidade, que inclui o espectro dentro do intervalo de 3,3-3,8 GHz, e que espera que seja a base de muitos dos serviços 5G iniciais.

· Frequências acima do 6 GHz são necessárias para satisfazer as velocidades de banda larga ultrarrápida prevista para 5G; atenção estará voltada para bandas acima de 24 GHz.

Recomendações de políticas públicas para garantir o futuro de 5G

Em um novo documento sobre o espectro 5G publicado na quarta-feira, 2, a GSMA expõe diversas recomendações que permitirão que a indústria móvel assegure o espectro necessário para 5G. Entre estas, se incluem:

1. É necessário contar com espectro móvel de alta frequência harmonizado para garantir que os serviços 5G atendam às expectativas futuras: os governos mundiais devem colaborar em uma abordagem harmonizada, já que os serviços 5G vão exigir grandes quantidades de espectro. Caso não sejam disponibilizadas essas bandas de frequências mais elevadas para o 5G, não será possível fazer uma mudança significativa na velocidade da banda larga móvel, tão pouco suportar o crescente tráfego de dados móveis, especialmente em áreas urbanas congestionadas.

2. Os governos devem adotar políticas nacionais que promovam fortes investimentos de longo prazo em redes 5G: as implementações exigirão investimentos significativos em redes, devido ao grande número de small cells necessário para proporcionar velocidades ultra altas. O ritmo de colocação do serviço, a qualidade do serviço e a cobertura serão afetados sem estímulo do governo. Os governos devem analisar e tomar as medidas adequadas em termos de políticas nacionais para contar com redes preparadas para o futuro que possam suportar a tecnologia 5G.

3. A WRC-19 será vital para tornar realidade a alta velocidade para 5G e dispositivos de baixo custo: os governos e as autoridades reguladoras têm a chave para destravar a implementação da maior velocidade de 5G, os dispositivos de baixo custo e roaming internacional transfronteiras. Eles devem planejar o futuro, o apoiar o espectro 5G antes e durante a própria WRC-19. Se os governos não aceitam um conjunto comum de bandas, o espectro 5G poderia se fragmentar, o que se traduziria em um aumento nos custos de dispositivos e prejudicaria o acesso generalizado e acessível ao 5G.