Tecnologias Emergentes > Internet das Coisas

Google cria sistema de IoT chamado Android Things

Empresa liberou nesta semana o preview para desenvolvedores do seu novo sistema para Internet das Coisas

14 de Dezembro de 2016 - 18h38

O Android está indo em direção à Internet das Coisas (IoT) na forma do Android Things, um novo sistema operacional que cresceu a partir do Project Brillo e irá receber updates diretamente do Google.

Com o mercado de Internet das Coisas para casa ainda emergindo de um hobby para algo realmente de massa, a grande tração do Android nos smartphones pode fazer com que seja uma plataforma popular para aparelhos como lâmpadas, travas, termostatos e outras aplicações residenciais.

Na terça-feira, 13, o Google anunciou um preview para desenvolvedores do Android Things, que poderá operar nas plataformas Raspberry Pi 3, Intel Edison, e NXP Pico. Segundo a empresa, será fácil para os desenvolvedores escalarem seus protótipos para grandes produções usando versões customizadas dessas placas.

Para quem não lembra, o Google anunciou o Project Brillo durante a sua conferência Google I/O, em maio de 2015, juntamente com a Weave, uma plataforma para aparelhos de Internet das Coisas e comunicação na nuvem. A ideia por trás do Brillo era criar uma versão mais simples do Android para aparelhos menores e menos poderosos do que smartphones.

Segundo a gigante, o Android Things incorporou o feedback recebido com o Brillo durante esse período. O sistema é feito para permitir que os desenvolvedores construam rapidamente aparelhos que possam usar APIs Android e serviços Google. O Android Things vai incluir ferramentas como o Android SDK (kit de desenvolvimento de software), a Google Cloud Platform, a Google Play Services, e o Android Studio.

Atualização direta

O Google conseguirá atualizar diretamente os aparelhos com Android Things, um recurso essencial tanto para segurança quanto para adicionar recursos ao longo do tempo. A habilidade de atualização estará disponível para o preview de desenvolvedores nos próximos meses, aponta o Google. O recurso também permitirá que os desenvolvedores enviem os seus próprios updates para os seus aparelhos.

Além disso, o Google anunciou nesta semana que está atualizando sua plataforma Weave com uma versão que facilitará para os aparelhos de IoT se conectarem com a nuvem e usarem serviços na nuvem. As linhas de produtos Philips Hue e Samsung SmartTHings já usam a Weave e outras empresas, como Honeywell, LiFX e Belkin WeMo, estão implementando-a.