Telecom > Gestão de Projetos

Gestão de telecom cooperativa traz ganhos para todos

Cooperação possibilita que algumas competências possam ser gerenciadas internamente, enquanto áreas especializadas podem ser terceirizadas

03 de Fevereiro de 2017 - 17h49

A atividade de gestão de telecomunicações é corriqueira em quase todas as empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes. Mensalmente, ao receberem as faturas das operadoras de telefonia, necessitam manipular, conferir, contestar, aprovar e pagar estas contas. Entretanto, tal atividade é geralmente trabalhosa e de baixa eficácia, pois os gestores não possuem ferramentas apropriadas para auxiliar nesta tarefa, além do trato com os “call centers” das prestadoras de serviços ser uma atividade desgastante, consumidora do tempo e da paciência das pessoas.

A gestão de telecom é uma atividade meio que possui características muito específicas e, para ser eficaz, necessita de ferramental apropriado, expertise e relacionamento com as operadoras de telefonia. Estes três elementos fazem com que a otimização dos resultados seja obtida com o uso de software, de processos e de pessoas experientes. Por estes motivos, cada vez mais, as empresas buscam terceirizar as funções de gestão de gastos com telecom ou, pelo menos, utilizar programas de computador, com seus próprios recursos humanos.

Uma vez que se trata de competência intrínseca, especialistas trazem amplo espectro de experiências e conhecimento sobre quais são as melhores áreas para se incrementar a eficiência de como as empresas devem gerenciar as suas despesas com telecom. Fornecedores especializados em gestão de telecom possuem os recursos para realizar a tarefa, conseguem manter uma equipe treinada e com melhoria contínua das habilidades dos seus próprios empregados, mantendo-os sempre como especialistas no assunto.

Pode ser difícil para uma organização levantar as regras de negócio para criar e manter um departamento que gerencia esta função, uma vez que ela não é parte da missão ou da atividade finalística desta organização. Por outro lado, fornecedores especializados conhecem onde os erros de faturamento mais comuns são encontrados e também, o melhor método para submeter as contestações, de forma a aumentar a probabilidade de receber as devoluções dos valores pagos indevidamente.

Especialistas possuem relacionamento com as empresas de telecom e com outros provedores de serviços, de forma a acelerar os processos de resolução das disputas. Os fornecedores especializados conhecem os processos internos das operadoras de telefonia e os procedimentos para o gerenciamento de ordens de serviço de trocas, acréscimos, mudanças e desconexões, além do processamento de faturas.

Para muitas empresas, a melhor abordagem na contratação de um fornecedor especializado é a cooperativa, onde muitas funções são terceirizadas e outras, gerenciadas internamente. Isto permite que as empresas retenham seus empregados, para que continuem gerenciando áreas sensíveis ao seu negócio. Algumas competências intrínsecas podem ser gerenciadas internamente, enquanto áreas especializadas que requerem expertise externo, podem, portanto, ser terceirizadas.

Fundamental na abordagem cooperativa é definir claramente o escopo do trabalho e ter uma coordenação cuidadosa, permitindo aos dois grupos trabalharem harmonicamente, traduzindo-se numa parceria verdadeira que produz os melhores resultados.

*Ricardo Caldas é presidente da Telemikro e do Sindicato das Indústrias da Informação do Distrito Federal.