Aplicações > Internet das Coisas

Gastos com software e serviços no Brasil atingem US$ 19 bilhões em 2016

Os investimentos das empresas somente em computação em nuvem tiveram expansão de 47,4%, para US$ 746 milhões, tendo como base os dois principais serviços: SaaS e PaaS, aponta da Abes

15 de Agosto de 2017 - 14h58

Os gastos com software e serviços no Brasil alcançaram a marca de US$ 19 bilhões em 2016, o que coloca o país na 9ª posição no ranking mundial. Quando avaliados separadamente, o mercado doméstico de software obteve crescimento de 0,2%, em relação a 2015, com US$ 8,47 bilhões. Já o mercado doméstico de serviços registrou um aumento de 2%, com um total de US$ 10,22 bilhões.

Os dados são do estudo anual “Mercado Brasileiro de Software - Panoramas e Tendências” da Abes (Associação Brasileira das Empresas de Software) em parceria com a IDC, o mostra que o mercado mundial de software e serviços atingiu US$ 1,09 trilhão.

Pela primeira vez, o estudo traz a análise e evolução percentual de utilização das três principais tendências do setor de tecnologia da informação: computação em nuvem, Internet das Coisas (IoT) e big data. “Com a transformação digital impactando tão fortemente os negócios, achamos importante trazer para o estudo dados das principais tecnologias e seus impactos no mercado”, afirma Jorge Sukarie, presidente do conselho da Abes.

No ano passado, o mercado de computação em nuvem teve expansão de 47,4%, tendo como base os dois principais serviços — SaaS e PaaS. Os investimentos das empresas nesse tipo de licenciamento passaram de US$ 506 milhões, em 2015, para US$ 746 milhões em 2016 (veja gráfico abaixo).

De acordo com a pesquisa, o modelo de utilização que mais cresceu foi o de aplicações colaborativas, em que a utilização em nuvem ultrapassou o licenciamento tradicional representando em 2016, 53,3% do mercado — aumento de 133% na comparação com o registrado em 2013. As aplicações que apresentaram segundo maior crescimento foram as de CRM, em que, apesar do licenciamento tradicional representar a maioria do mercado, a utilização em nuvem saltou de uma participação de 20,8%, em 2015, para 27,5%, em 2016.

Aplicação de dados

Outro destaque é a ampla expansão da Internet das Coisas (IoT), que apresentou crescimento de 27,8% e atingiu investimentos de US$ 6 bilhões, sendo que, no Brasil, os principais casos de uso estão em monitoramento de frota, cujos gastos chegaram a US$ 856 milhões, seguido por smart grid, com US$ 631 milhões. “IoT está intrinsecamente conectada com a reinvenção dos negócios como conhecemos hoje (veja gráfico abaixo). Esse é um tema tão relevante que há discussões no governo para identificar áreas em que o Brasil pode se destacar dentro de IoT e, com isso, poder estabelecer formas de apoio à pesquisa, desenvolvimento e inovação”, comenta Jorge Sukarie.

Na outra ponta desse processo está a análise dos dados para que possam ser usados em aplicações nas mais diversas áreas. Apesar do crescimento de big data e analytics seguir em velocidade mais lenta com aumento de 3,2%, somou US$ 809 milhões, em 2016. “Dificilmente, quando se vai a uma empresa de qualquer setor da economia, não se consegue identificar uma aplicação em que não se encaixe uma solução de big data e que se consiga gerar resultados que possam agilizar a tomada de decisões, tornando-as mais assertivas e trazendo maior produtividade e competitividade”, aponta Sukarie.

Gastos por setores da economia

O setor da economia que mais investiu em software, em 2016, foi de serviços e telecomunicações (investimento de US$ 2,5 bilhões e crescimento de 3,6%, em relação ao ano anterior), enquanto o que mais reduziu investimentos foi o de finanças, com queda de 2,9%, mas que ainda é responsável por 24,5% da participação do mercado frente a 26,6% de serviços e telecomunicações. Em terceiro lugar, vem a indústria que, com investimentos na ordem de US$ 2 bilhões, tem participação de 21%, seguida por comércio, governo e óleo/gás, representando 11,9%, 4,5% e 3,9%, respectivamente. Já a agroindústria apresentou redução de 1,5% nos investimentos em software, mas a coleta recorde de grãos prevista para 2017 deve reverter esse quadro neste ano (veja gráfico abaixo).

Empresas do setor

Atualmente, o mercado de software e serviços conta com 15.707 empresas, sendo 11.237 delas dedicadas ao desenvolvimento e à comercialização de software e 4.470 dedicadas aos serviços de TI. Dentre as 4.872 empresas dedicadas ao desenvolvimento de software, mais de 95% são consideradas de micro ou pequeno porte, ou seja, com menos de 99 colaboradores.