Negócios > Hardware

Gasto mundial com semicondutores deve crescer 10,2% neste ano, indica Gartner

O índice, segundo a consultoria, é maior que a previsão de 1,4% feita no último trimestre, devido ao forte investimento contínuo em memória e lógica de ponta

24 de Agosto de 2017 - 14h19

Os gastos mundiais com semicondutores devem crescer 10,2% em 2017, alcançando US$ 77,7 bilhões, de acordo com pesquisa do Gartner. O índice, segundo a consultoria, é maior que a previsão de 1,4% feita no último trimestre, devido ao forte investimento contínuo em memória e lógica de ponta, que está estimulando o gasto com equipamentos com wafer — fina fatia de material semicondutor.

“O ritmo dos gastos está concentrado em 2017, principalmente pela forte demanda por memória e lógica de ponta. A falta de memória flash NAND (chip para armazenamento de dados que não necessita de eletricidade constante) foi mais acentuada no primeiro trimestre do ano do que o previsto anteriormente, levando a mais de 20% de crescimento nos segmentos de gravação e Deposição de Vapores Químicos (CVD, na sigla em inglês) neste ano com um forte aumento de capacidade para NAND 3D”, diz Takashi Ogawa, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

Segundo o Gartner, a próximo ciclo de baixa nos gastos de capital será entre 2018 e 2019 em comparação com a previsão do último trimestre que era de 2019 a 2020. “As despesas com fabricação de wafer seguirão um ciclo similar com pico em 2018. Enquanto o cenário mais provável é de manutenção do crescimento positivo no próximo ano, há a preocupação de que o aumento será negativo se a demanda do usuário final por aplicações eletrônicas chave for mais fraca que a esperada”, explica Ogawa.