Negócios > Pesquisas de Mercado

Gartner estima US$ 3,54 trilhões de investimentos globais em TI em 2016

O total representa crescimento de apenas 0,6% sobre 2015, que teve queda de 6% sobre os gastos de 2014. Dólar e economia fraca foram vilões.

24 de Janeiro de 2016 - 19h26

O Gartner, empresa global de pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, anunciou sua primeira estimativa para os investimentos globais de TI em 2016, apontando crescimento de apenas 0,6% sobre os gastos com TI em 2015. Segundo a empresa, o total de investimentos chegará a US$ 3,54 trilhões em 2016, contra US$ 3,52 trilhões em 2015.

O Gartner ressalta que em 2015 o total global investido em TI recuou 6%, ficando US$ 216 bilhões abaixo dos gastos com tecnologia em 2014. A empresa projeta ainda que os níveis de investimentos de 2014 não serão ultrapassados até 2019. "O aumento do dólar americano é o vilão por trás dos resultados de 2015", afirma John-David Lovelock, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner.

O mercado de dispositivos (computadores, ultramobiles, celulares, tablets e impressoras) deve diminuir 1,9% em 2016. A combinação das condições econômicas que impedem países como Rússia, Japão e Brasil de voltarem a ter um crescimento mais forte com uma mudança nos gastos de telefonia em mercados emergentes para os telefones de baixo custo, é sobreposta pela fraca adoção ao tablet nas regiões onde havia uma expectativa de crescimento.

Dispositivos ultramobile premium devem impulsionar o mercado de computadores, assim como a mudança para o Windows 10 e para os computadores baseados no Intel Skylake. O Gartner prevê uma redução na velocidade de aceitação dessas tecnologias ao longo de 2016, mas espera que a situação se reverta em 2017, com a estabilização do ambiente econômico.

Gastos com sistemas centrais de dados deverão chegar a US$ 75 bilhões em 2016, um aumento de 3% em comparação a 2015. O mercado de servidores tem visto a maior mudança desde a previsão do trimestre anterior, com uma demanda maior do que a esperada por parte do setor de hiperescala que tem durado mais tempo do que se imaginava. Estima-se que a demanda neste segmento continue a ser forte em 2016.

O ambiente econômico dos mercados emergentes teve pouca participação na previsão de gastos de empresas com software para 2016. Os gastos com TI em mercados emergentes devem totalizar US$ 326 bilhões, um aumento de 5,3% em comparação a 2015. No entanto, países-chave, particularmente o Brasil e a Rússia, enfrentam crescentes desafios políticos e econômicos. As organizações nessas regiões devem equilibrar o corte de custos com oportunidades de crescimento durante os tempos de preocupação econômica.

Os gastos no mercado de serviços de TI devem voltar a crescer em 2016, após uma queda de 4,5% em 2015. Despesas com serviços de TI devem atingir US$ 9,40 bilhões este ano, um aumento de 3,1% em comparação com 2015. Isso se deve à aceleração do impulso de adoção da infraestrutura de Nuvem e aceitação deste modelo por parte dos consumidores.

Já as despesas com serviços de Telecom deverão diminuir 1,2% em 2016, chegando a US$ 1,45 trilhão. O segmento será afetado pela abolição das taxas de roaming na União Europeia e em partes da América do Norte. O aumento do tráfego móvel de voz e de dados será insuficiente para compensar a perda das receitas provenientes de tarifas de roaming e premium.

Uma análise mais detalhada está disponível no webinar "IT Spending Forecast, 4Q15 Update: What Will Make Headlines in 2016", com analistas discutindo os gastos globais com TI, divididos por dispositivos, sistemas centrais de dados, software, serviços de TI e serviços de telecomunicações, e as oportunidades em curto prazo nos negócios digitais, nos novos modelos de negócios e nas soluções de que eles necessitam.