Tecnologias Emergentes > I.A.

Gartner aponta as megatendências que irão conduzir os negócios digitais

Inteligência artificial, experiências imersivas transparentes e plataformas digitais são as tendências que irão ajudar as empresas a se conectarem com novos ecossistemas de negócios nos próximos cinco a dez anos

31 de Agosto de 2017 - 19h28

Inteligência artificial (IA), experiências imersivas transparentes e plataformas digitais são as três tendências que irão fornecer inteligência, criar novas experiências e oferecer plataformas para ajudar as empresas a se conectarem com novos ecossistemas de negócios. A previsão é de um estudo do Gartner, que analisa as megatendências que irão alavancar os negócios das empresas e ajudá-las a sobreviver na economia digital nos próximos cinco a dez anos.

"Arquitetos empresariais que estão focados em inovação tecnológica devem avaliar essas tendências de alto nível e as tecnologias apresentadas, assim como o potencial impacto em seus negócios", diz Mike J. Walker, diretor de pesquisas do Gartner. "Além do possível impacto nos negócios, essas tendências oferecem perspectivas significativas para que líderes de arquitetura ajudem os executivos seniores de TI e negócios a responderem às oportunidades e ameaças dos negócios digitais. Isso cria soluções acionáveis signature-ready que entregam diagnósticos para guiar decisões de investimentos."

Os analistas do Gartner apresentarão com exclusividade pesquisas sobre as três megatendências durante o Symposium/ITxpo 2017, evento que acontece entre os dias 23 e 26 de outubro, em São Paulo. O Gartner estima que as megatendências serão baseadas em:

Inteligência Artificial em todo lugar - Tecnologias de inteligência artificial serão a classe mais inovadora de tecnologia nos próximos dez anos. Isso por conta do enorme poder computacional, disponibilidade praticamente infinita de quantidades de dados e avanços sem precedentes em redes neurais profundas. Tudo isso vai permitir que empresas com tecnologias de IA aproveitem dados para se adaptarem a novas situações e resolverem problemas que não tinham sido encontrados anteriormente. Empresas que buscam crescimento nessa área precisam considerar tecnologias como aprendizagem profunda (deep learning), deep reinforcement learning, inteligência artificial geral (IAG), veículos autônomos, computação cognitiva, UAVs (Unmanned Aerial Vehicles – veículos aéreos não tripulados, ou drones), interfaces de usuário conversacionais, gerenciamento de taxonomia e ontologia empresarial, aprendizado de máquina, smart dust (poeira inteligente), robôs inteligentes e ambiente de trabalho inteligente.

Experiências imersivas transparentes - A tecnologia vai continuar cada vez mais centrada no ser humano, permitindo transparência entre pessoas, negócios e objetos. Essa relação tende a ser mais entrelaçada conforme a evolução da tecnologia se torna mais adaptativa, contextual e fluída entre o ambiente de trabalho, a casa e a interação com negócios e outras pessoas. Os analistas do Gartner apresentarão as tecnologias fundamentais a serem consideradas, incluindo impressão 4D, realidade aumentada, interface computador-cérebro, casas conectadas, melhorias em humanos, eletrônicos com nanotubos, realidade virtual e telas volumétricas em formatos não convencionais.

Plataformas digitais - Tecnologias emergentes requerem a revolução das bases facilitadoras que fornecem o volume de dados necessário, poder de computação avançado e suporte de ecossistemas. A transição de infraestrutura técnica compartimentada para plataformas que permitem ecossistemas cria as bases para modelos de negócios totalmente novos que formam uma ponte entre humanos e tecnologia. As principais soluções de plataformas que serão discutidas no evento Gartner incluem 5G, digital twin (gêmeo digital, ou modelo digital 3D de um sistema físico operacional), edge computing (dispositivos de extremo da rede), blockchain, plataforma IoT (Internet das Coisas), neuromorphic hardware, computação quântica, serverless PaaS e software-defined security (segurança definida por software).

"Quando esses temas estão juntos, podemos ver claramente como as tecnologias centradas no ser humano dentro de experiências imersivas, como ambientes de trabalho inteligentes, casas conectadas, realidade aumentada, realidade virtual e a crescente interface computador-cérebro, estão se tornando as tecnologias de ponta que puxam as demais tendências", diz Walker.

Tecnologias emergentes do tipo "IA em todo lugar" se movem rapidamente dentro do Hype Cycle. Já as de aprendizagem profunda, autônoma e computação cognitiva só agora crescem, o que mostra que são capacitadores-chave que criam experiências imersivas e transparentes. Plataformas digitais crescem no Hype Cycle e ilustram as novas realidades de TI. Computação quântica e Blockchain estão posicionadas para impactos mais transformadores e significativos nos próximos cinco a dez anos.

"Essas megatendências ilustram que quanto mais organizações forem capazes de tornar a tecnologia parte integral das experiências de funcionários, parceiros e clientes, mais elas poderão conectar seus ecossistemas a plataformas de formas novas e dinâmicas", explica Walker.