Tecnologia > Educação

Fundação Lemann e Universidade Columbia lançam programa de empreendedorismo em educação

Programa vai selecionar e apoiar empreendedores em educação dispostos a contribuir para superar desafios relacionados à implementação da Base Nacional Comum Curricular

22 de Agosto de 2017 - 14h41

Em uma aliança inédita, a Fundação Lemann e Universidade Columbiaem parceria com a Artemisia, lançaram o “Desafio Start-Ed: Tecnologias para Transformar a Aprendizagem”As organizações compartilham a visão de que todos os estudantes do país têm direito a uma educação pública de qualidade e que soluções tecnológicas inovadoras, escaláveis e sustentáveis podem contribuir para este objetivo.

Por isso, o Desafio Start-Ed irá identificar, selecionar e apoiar empreendedores em educação, assim como o Start-Ed Lab, iniciativa da Fundação Lemann, com edições anuais entre 2013 e 2016. O diferencial do Desafio Start-Ed é que os 12 empreendedores selecionados serão preparados para desenvolver produtos e serviços capazes de solucionar desafios específicos associados a três temas relevantes para a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC): defasagem escolar, inclusão de alunos com deficiências e participação ativa de pais e responsáveis no processo de aprendizagem de alunos.

“A BNCC ajudará a garantir que todos os alunos brasileiros tenham os mesmos direitos à aprendizagem, mas sabemos que educadores, gestores escolares, pais e responsáveis enfrentarão alguns desafios para trazê-la para dentro da escola”, explica Denis Mizne, diretor-executivo da Fundação Lemann. “O Desafio Start-Ed é fruto de mais uma parceria que firmamos com o objetivo de ajudá-los no processo de implementação”, completa.

“A união de expertises e experiências das organizações certamente fará deste programa algo histórico para a educação no nosso país”, afirma Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia.

Ao lado de estudantes de diferentes cursos da Universidade Columbia, os empreendedores brasileiros participarão de um processo intensivo de ideação e desenvolvimento — que inclui uma semana de atividades em Columbia, em Nova York (EUA) — e acompanhamento durante os oito meses de Desafio. As melhores soluções receberão um prêmio em dinheiro ao término do programa.

Programa Start-Ed

O Desafio Start-Ed terá duração de oito meses, com cinco encontros presenciais, além de acompanhamento virtual dos empreendedores entre os encontros. Nesse período, os participantes terão acesso a ferramentas, conteúdos e mentores para que, em um curto período de tempo, possam desenvolver, aprimorar as soluções e avançar rapidamente em suas trajetórias empreendedoras.

Segundo a equipe da Artemisia, a busca recai para pessoas com genuíno interesse em empreender negócios no setor de educação. Na análise da equipe de Busca & Seleção da organização, serão avaliadas a capacidade de colaboração, a experiência profissional (empreendedora, no setor de educação, ou no mercado de trabalho); conhecimento técnico e talentos relevantes; competências empreendedoras (autonomia, iniciativa, visão de futuro, abertura para feedback, maturidade, trabalho em equipe e liderança); capacidade de realização; conexão com o tema de educação (vontade de criar um negócio nessa temática); comprometimento com impacto: criar algo que possa resolver o problema de milhões de pessoas e inglês (mínimo intermediário).

As inscrições para o Desafio Start-Ed estarão abertas até dia 10 de setembro pelo link:  http://www.fundacaolemann.org.br/start-ed.