Gestão > Estratégia, Liderança

Formas de mudar a estrutura organizacional

Quando falamos de inovação na gestão do negócio, devemos saber que isso exige foco e planejamento

29 de Janeiro de 2016 - 10h33

Ser mais feliz no trabalho é o desejo de muitos para o ano que começa. Para alguns, a concretização deste sonho está associada à mudança nas lideranças.

É possível ter uma empresa sem chefe? Sim, e isso já é realidade para a Zappos, e-commerce norte-americana reconhecida por sua excelência no atendimento. Em 2014, a companhia surpreendeu executivos de todo o mundo ao adotar a holocracia, modelo de gestão que descentraliza a hierarquia e suprime a figura do chefe.

Entre erros e acertos, a empresa segue implementando essa filosofia em seus processos e simboliza a procura das corporações por novas ideias para se destacarem em mercados competitivos. Inovar na administração do negócio é uma alternativa para quem deseja driblar a crise econômica enfrentada pelo Brasil, mas exige foco e planejamento.

Confira cinco dicas para mudar a estrutura organizacional em 2016:

Inovação contínua: a popularização da Internet e de novas tecnologias empoderou os consumidores, cada vez mais exigentes com os serviços que utilizam. Dessa forma, as empresas precisam se atualizar constantemente para atender de forma mais rápida e eficiente seus clientes. É uma característica dificilmente atingida por corporações que ainda estão presas em modelos tradicionais de gestão.

Disposição para mudar: em tempos de crise e recessão, como a que vivemos atualmente no Brasil, é imprescindível que a companhia esteja pronta para mudar os planos rapidamente, evitando o desperdício de investimento e buscando sempre os melhores resultados não só para o negócio, mas também para seus clientes.

Tecnologia a favor: normalmente, as corporações utilizam as novidades tecnológicas para repetirem a fórmula – o que leva aos mesmos resultados. Investir em soluções não faz a empresa se transformar em digital. É preciso adotar recursos que realmente facilitem processos e beneficiem os colaboradores de todas as áreas.

Transformação da cultura da empresa: a mudança começa pelo próprio mindset da empresa. Para isso, é preciso renovar lideranças, compartilhar pensamentos, descentralizar o poder e ampliar a responsabilidade de decisões. Só assim é possível encontrar novas ideias que realmente podem fazer a diferença para o negócio.

Novos conhecimentos: vá além dos conceitos que sempre nortearam a gestão e tente conhecer ideias novas e métodos que compartilham valores modernos, como Scrum, Kanban, Lean, entre outros. A meta é entender mais sobre as pessoas, a chamada Geração Y, que já está tomando o controle das empresas e também os profissionais do futuro.

*Rafael Cichini é CEO da Just Digital.