Negócios > Estratégia

Fico aposta em expansão geográfica e colhe frutos

No último ano, empresa abriu escritório no Chile e em Miami, o hub para a América Latina

30 de Janeiro de 2018 - 11h41

Fundada em 1956 e com sede no Vale do Silício, nos Estados Unidos, a Fico firmou-se no mercado com o uso de análises preditivas e ciência de dados para aprimorar decisões operacionais e de negócios. Com presença no Brasil desde 1998, o ano de 2017 foi agitado para a companhia, que fortaleceu seu processo de expansão geográfica, abrindo um escritório em Miami, nos Estados Unidos, uma espécie de hub para a organização na América Latina, e outro no Chile.

Com a novidade, Alexandre Graff, CEO da Fico na América Latina, mudou-se para Miami e de lá comanda as operações da região. “Estou mais perto dos clientes e da corporação em San José, na Califórnia”, comemora.

A abertura do escritório aconteceu em julho de 2017 e já em dezembro do mesmo ano contava com 20 colaboradores. “Antes, nossa estratégia de cobertura geográfica era focada em poucas regiões e poucos clientes. Agora, o quadro está mudando”, revelou o executivo em entrevista ao IT Forum 365.
Outra mudança, segundo ele, esteve na ampliação da estratégia afora do mercado financeiro, agregando segmentos como varejo, seguradoras e telecom, além, claro, das novas vedetes do mercado: as startups.

A estratégia vem gerando resultados, diz Graff. Apesar de não abrir números locais, o executivo aponta que um bom indicador de sucesso nos negócios está no valor das ações da empresa. Em 2013, a ação da Fico girava em torno de US$ 53. Em dezembro de 2017, passou a ser cotada por cerca de US$ 159.
O desafio atual, aponta Graff é garantir o crescimento consistente da operação latino-americana, que, de acordo com ele, está no centro das atenções da corporação. “Nossa visão é de focar nas necessidades do cliente. Sem isso, não há como prestar um bom atendimento”, observa ele.

Aposta em consultoria

Graff revela que as tendências como machine learning e inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) não são novidades para a empresa, porque há muitos anos as soluções da companhia agregam tecnologias do tipo. Com a tecnologia sempre em linha com o que há de mais moderno, o executivo indica que a empresa tem como diferencial, ainda, a vertente de consultoria.

Na área de cibersegurança, a consultoria tem sido bastante demandada, aponta ele, não só porque a quantidade de ataques aumentou nos últimos meses, mas porque as empresas estão mais preocupadas em fortalecer a proteção de suas fronteiras.