Internet > Mídias Sociais

Facebook se pronuncia sobre prisão de executivo no Brasil

Diego Dzodan, vice-presidente da rede social para América Latina, foi detido pela Polícia Federal nesta terça-feira

01 de Março de 2016 - 14h43

O Facebook divulgou uma nota oficial no início da tarde desta terça-feira (01/03) para comentar a detenção do seu vice-presidente para América Latina, Diego Dzodan, pela Polícia Federal na manhã de hoje em São Paulo.

Além disso, o comunicado da rede social também confirmou que o caso em questão é relacionado ao WhatsApp, aplicativo de comunicação de propriedade da empresa de Mark Zuckerberg.

"Estamos desapontados com a medida extrema e desproporcional de ter um executivo do Facebook escoltado até a delegacia devido a um caso envolvendo o WhatsApp, que opera separadamente do Facebook. O Facebook sempre esteve e sempre estará disponível para responder às questões que as autoridades brasileiras possam ter.”

Segundo uma nota da PF, a prisão preventiva do executivo argentino aconteceu por conta de “reiterado descumprimento de ordens judiciais em investigações que tramitam em segredo de justiça e que envolvem o crime organizado e o tráfico de drogas”. A investigação em questão tramita em segredo de justiça no Juízo Criminal da Comarca de Lagarto, em Sergipe.

Vale lembrar que o WhatsApp chegou a ser bloqueado no Brasil por cerca de um dia em dezembro de 2015 por não cumprir ordens judiciais parecidas. Relembre o caso aqui.

Em setembro de 2012, o então diretor-geral do Google Brasil, Fábio Coelho, foi detido pela PF após a empresa se negar a retirar do YouTube vídeo que trazia acusações contra um candidato à prefeitura de Campo Grande (MS).