Negócios > Rede

Extreme Networks faz oferta de cerca de US$ 100 milhões pela divisão de redes da Avaya

Cerca se dois meses depois de ter entrado com pedido de recuperação judicial, empresa fechou acordo para vender seu negócio de equipamentos de redes, segundo fonte

07 de Março de 2017 - 22h24

Menos de dois meses depois de ter entrado com pedido de recuperação judicial (Chapter 11) no Tribunal Distrital de Falências do Sul de Nova York, a Avaya encontrou um comprador para seu negócio de equipamentos de redes. A Extreme Networks teria feito uma oferta de compra da divisão de aproximadamente US$ 100 milhões, segundo pessoa próxima às negociações ouvida pelo IDG News Service.

Em meados de janeiro, ao entrar com pedido de recuperação judicial, a fornecedora de tecnologias, software e serviços de contact center e comunicações unificadas informou que passaria a concentrar o foco de atuação em software e serviços. A venda da divisão de redes é parte de sua estratégia de reestruturação para sair da concordata.

A Extreme Networks, cuja sede fica em San Jose, na Califórnia, produz dispositivos para rede cabeadas e sem fio, incluindo um controlador SDN (rede definida por software) baseado na plataforma do OpenDaylight. Em setembro do ano passado, ela adquiriu o negócio de LAN sem fio Zebra Technologies, por US$ 55 milhões, com objetivo de ampliar o portfólio de divisão de Wi-Fi.

A Avaya tem enfrentado dificuldades desde ano 2000, quando foi desmembrada da Lucent Technologies, passando a atuar como fornecedora de equipamentos de telefonia, sistemas de call center e equipamentos de rede. Em 2007, no entanto, ela foi vendida para os fundos de investimento TPG Capital e Silver Lake, por US$ 8,2 bilhões. Mesmo assim, com a explosão dos smartphones e da computação em nuvem o seu negócio de comunicação unificada e redes começou a registrar forte retração nas vendas. Quando pediu concordata no mês passado, a Avaya também adiantou que pretendia continuar com seu negócio de contact center e vender os demais ativos.

O acordo com a Extreme Networks tem que ser aprovado pelo Tribunal, que supervisiona a recuperação judicial da Avaya. A expectativa da empresa é levantar a concordata em três ou quatro meses.