Telecom > Rede, Smartphones, Telecom

Tecnologias Ericsson e Qualcomm possibilitam velocidade de rede de 530 Mbps no Brasil

Assinantes Vivo poderão ter acesso nessa velocidade tão logo smartphones com capacidade para estas tecnologias sejam disponibilizados

17 de Outubro de 2016 - 20h49

A Vivo é a primeira operadora no Brasil a usar seus ativos reais de espectros na cidade de São Paulo para aprimorar a experiência dos clientes com a introdução rápida da solução da Ericsson para carrier aggregation com três portadoras LTE, em combinação com as tecnologias 4x4 MIMO e 256QAM para aguentar velocidades de dados superiores a 530 Mbps. A demonstração foi concluída usando um dispositivo de teste modem Snapdragon X16 LTE da Qualcomm Technologies Inc., subsidiária da Qualcomm Incorporated. O dispositivo modem de teste agregou 35 MHz, utilizando bandas nas faixas de 2600 MHz, 1800 MHz e 700 MHz.

A Vivo vem investindo em qualidade de rede e desempenho por vários anos, incluindo ativos de espectro alocados para LTE (45-50 MHz), bem como investimentos em voice-over-LTE (VoLTE) e serviços de convergência de vídeos, para melhorar tanto o desempenho quanto a eficiência da tecnologia LTE atual, que evoluirá para se tornar parte do 5G. A Ericsson anunciou anteriormente os novos software e hardware Ericsson Radio System com capacidade para taxas de pico do usuário de até 1 Gbps e uma arquitetura de acesso de rádio (RAN) hiper-escalável.

“Nossa parceria mais recente se baseia em um compromisso mútuo em oferecer uma rede de qualidade e bom desempenho”, diz Eduardo Ricotta, vice-presidente da Ericsson responsável pela unidade de negócio no Brasil. Para Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm Latin America, este é um passo importante em direção ao 5G e fortalece o relacionamento estratégico da empresa com a Vivo.

Com assinaturas LTE previstas para atingir 4,3 bilhões até o final de 2021, uma taxa anual de crescimento composta (CAGR) de 25% e aumento de consumo de dados por assinatura, as operadoras são desafiadas a dimensionar suas redes de forma eficiente, garantindo ao mesmo tempo ótima cobertura de aplicativos para seus clientes. Os mais novos hardware e software da Ericsson oferecem ao LTE maiores oportunidades enquanto suportam a evolução da operadora rumo ao 5G.

O componente-chave usado é o 4X4 MIMO (Multiple Input Multiple Output), que pode dobrar o número de fluxos de dados únicos transmitidos ao smartphone do usuário, habilitando assim até duas vezes a capacidade e o processamento de dados.

A agregação de portadoras LTE-A permite às operadoras usarem espectros de forma mais eficiente para oferecer uma melhor experiência de usuário para os clientes. O uso de 256QAM permite que maiores taxas de picos sejam atingidas em condições de rádio de qualidade, tornando-a uma solução ideal para arquiteturas de células pequenas internas e externas.

A Vivo tinha 73,3 milhões de clientes móveis no fim do primeiro semestre e é a operadora móvel líder no Brasil, com 29% do mercado. Na América Latina, a operadora começou a estender redes de dados de alta velocidade na tecnologia LTE.

A Ericsson está presente, hoje, em todos os mercados de LTE com tráfego elevado, incluindo Estados Unidos, Japão e Coréia do Sul e está posicionada como líder no setor por lidar com a maioria do tráfego de LTE global. Além disso, 40% do tráfego móvel no mundo é feito pelas redes da Ericsson. Mais de 270 redes LTE RAN e Evolved Packet Core foram entregues pela Ericsson em todo o mundo. Desse total, 200 estão comercialmente habilitadas.

A Ericsson possui Memorandos de Entendimento para cooperação 5G assinadas com 26 operadoras, número que, somado às indústrias verticais com as quais a Ericsson está comprometida, ultrapassa os 50.