Cloud Computing > Cloud Híbrida, Telecom, Tendências

Empresas destinarão um terço de seus esforços de cloud à nuvem pública

Relatório mapeia as estratégias de cloud em oito verticais. Telecom é a com o maior apetite para ambientes públicos

01 de Março de 2016 - 14h35

A nuvem avança aos poucos nas organizações. Um estudo da 451 Research indica que as empresas investirão, em média, um terço dos seus recursos destinados à cloud em ambientes de nuvem pública. O instituto projetou a adoção do conceito em diferentes setores da indústria pelos próximos anos.

De acordo com o levantamento, até 2018, o setor de manufatura terá uma composição onde 23% dos gastos em nuvem irão para ambientes públicos e os 77% restantes se destinarão a estruturas privados. O percentual é idêntico na vertical de educação e muito parecido em organizações governamentais (22 contra 78).

A consultoria aponta que varejo deve alocar 27% dos recursos em cloud pública, saúde (28%) e finanças (29%) nesse mesmo período. O segmento mais cauteloso, de acordo com o estudo, será o de seguradoras (apenas 19% dos gastos em nuvem pública) e o com maior apetite é o de telecom (33%).

A projeção anima provedores de tecnologia com relação a uma abordagem híbrida – que ajudará as empresas na orquestração de ambientes distintos. Há alguns dias, a IBM reforçou seu interesse em posicionar-se nesse cenário. Outros gigantes da indústria também querem uma fatia desse segmento.

Em um evento realizado em São Paulo na terça-feira (01/03), a HPE destacou seu interesse no modelo que combina recursos públicos e privados. De acordo com a companhia, quase metade (49%) dos executivos de TI não tem a confiança necessária para gerenciar um ambiente híbrido, buscando auxílio de parceiros para tal tarefa.

Vale citar, ainda, que o tema é visto por executivos como uma alavanca para o sucesso na transformação digital. Um estudo encomendado pela EMC junto à IDG, indica que ambientes híbridos são um ponto fundamental da digitalização.

A pesquisa revela que 83% dos participantes já usam ou pretendem usar nuvem híbrida, e 73% concordam que um modelo cria um caminho para o negócio digital.

Na visão da provedora de soluções de armazenamento, os dados do estudo indicam que a transformação digital proporcionada pelas nuvens híbridas ajuda as organizações a melhorarem a agilidade da TI e transformam as iniciativas de implementação do negócio digital em um processo mais rápido, fácil e econômico.

“Os resultados mostram que, por reduzirem os custos de TI, as nuvens híbridas permitem mais investimentos na transformação digital, e aqueles que adotaram a nuvem híbrida de forma mais intensa são também os que mais avançaram na transformação digital”, estampa um relatório.

Das organizações participantes, as que possuem um número significativo de cargas de trabalho em nuvem híbrida têm uma probabilidade três vezes maior de atingir seus objetivos de preparo de infraestrutura e de negócios digitais do que as que ainda não adotaram a nuvem híbrida.