Tecnologia > Mobile Apps, Wearable Computing

Empresas de manufatura devem priorizar serviços de campo, afirma Salesforce

Pesquisa identificou que as organizações enfrentam pressão de fornecedores e clientes para adaptarem seus modelos de atendimento

17 de Março de 2016 - 17h57

As empresas de manufatura devem priorizar a melhoria dos serviços em campo como forma de aproveitar o avanço da indústria da tecnologia. A constatação está no relatório “2016 Connected Manufacturing Service Report” da Salesforce. A pesquisa condensa resposta de 237 profissionais que atuam no setor.

A pesquisa identificou que as organizações enfrentam uma crescente pressão de fornecedores e clientes para adaptarem seus modelos de atendimento. De fato, 90% dos respondentes afirmam que a melhoria dos serviços de campo é uma prioridade para a sua companhia.

Dos entrevistados, 61% disseram que suas organizações rastreiam informações em planilhas, 37% ainda usam sistemas baseados em papel e 87% reforçam a importância do investimento em tecnologia para ajudá-los em suas tarefas.

“Para ter sucesso, os executivos deverão munir suas equipes com ferramentas que aproveitem tecnologias emergentes como wearables e IoT, que conectam de forma eficiente toda a equipe, agendam e despacham agentes de campo, e gerenciam tarefas em tempo real”, observa a Salesforce.

Para 90% dos executivos melhorar o desempenho dos serviços de campo é prioridade da organização. Além disso, 73% deles concordam que seus departamentos desempenham um papel estratégico aos negócios, sendo que 66% os consideram geradores de receita para suas empresas.

A pesquisa identificou que grande parte do universo pesquisado (76%) classifica como essencial ou muito importante que agentes de campo incorporem tecnologias nas atividades; e 87% estão investindo em treinamento de tecnologia para seus agentes de campo.

Os entrevistados reconhecem que a tecnologia pode transformar a experiência do cliente, mas dizem estar sendo prejudicados por sistemas legados. No entanto, 61% dos executivos ainda usam planilhas, e 37% utilizam um sistema baseado em papel para rastrear informações dos clientes, incluindo histórico de compras e solicitações de serviços.